Algoz do United tem passado sofrido e ascensão meteórica

Saido Berahino deixou o Burundi aos 10 anos em meio a uma guerra-civil, sofreu para se adaptar, mas vem empolgando torcidas do West Brom e da Inglaterra

A partida entre Manchester United e West Bromwich, no Old Trafford, não foi importante para o time de Steve Clarke apenas pela vitória. Além de ter vencido os Red Devils fora de casa pela primeira vez em 35 anos, o jogo representou mais uma etapa na consolidação de Saido Berahino como peça importante do elenco dos Baggies. Nascido no Burundi, o jovem de apenas 20 anos marcou o gol que garantiu o triunfo e deu sequência à sua ascensão meteórica no time e na Inglaterra como um todo. Grato ao WBA e ao país por lhe darem uma “segunda chance”, o garoto deverá renovar em breve com o clube. E merece. Afinal, após uma história de superação, 850 libras por semana é muito pouco.

Nos seis jogos que disputou pelo West Brom na temporada, Berahino marcou cinco gols, quatro destes pela Copa da Liga Inglesa. Pela competição, o jogador fez sua primeira partida inteira como titular, na vitória por 3 a 0 sobre o Newport County, e não decepcionou. Pelo contrário, foi, impressionantemente, o autor de todos os tentos da partida que levou o time à terceira fase do torneio. Nesta, no entanto, não conseguiu evitar a eliminação do Albion para o Arsenal, nos pênaltis, mas foi quem marcou o gol do time no empate por 1 a 1 no tempo normal.

Além do bom desempenho com a camisa do time de Steve Clarke, o começo pela seleção inglesa sub-21 não é menos empolgante: já balançou a rede duas vezes em apenas duas partidas. A história do jovem atleta, no entanto, não é interessante apenas por sua performance de agosto para cá. Batalhador e exemplo para os outros garotos, como o próprio técnico do WBA se refere ao burundiano, Berahino começou a tornar a história que escreve agora possível há muitos anos.

Fuga de guerra-civil e adaptação difícil

Aos dez anos, Berahino deixou o Burundi por causa de uma guerra-civil, que inclusive vitimou seu pai. Quando chegou à Inglaterra, não sabia nada do país, sequer a língua ou a tradição futebolística, e sofreu para se adaptar à nova cultura. No entanto, um ano depois, já estava treinando na base do West Brom, após chamar atenção em jogos de várzea. “O West Brom teve um papel importante na minha vida. Eles cuidaram de mim desde muito jovem, e eu sinto que eu devo algo a eles”, falou o atleta, em entrevista ao jornal Express and Star, no final do mês passado. Tanto o clube quanto o país representaram para o garoto uma nova chance, e nesta temporada ele começou a “recompensar” os dois. “Mesmo que não tenha nascido na Inglaterra, me sinto inglês, já que vivo aqui há dez anos. É um lugar fantástico de se estar”, falou o garoto, com orgulho.

Protagonismo ofuscado

Há três anos, durante a disputa do Campeonato Europeu Sub-17, Connor Wickham foi o grande protagonista da conquista inglesa na competição, por marcar dois gols na semifinal e um na grande decisão contra a Espanha. Mas ele não teria tido sequer a chance de ser o herói do triunfo sem a contribuição de Berahino. Fora da lista inicial para a competição, o jogador do West Brom foi chamado de última hora para substituir um dos convocados que havia se lesionado.

Ainda na fase de grupos, em jogo contra a Turquia, o English Team estava sendo eliminado da competição com uma derrota. Berahino, então com 16 anos, tomou a bola para si, passou por três turcos e igualou o placar. A Inglaterra conseguiria mais tarde virar para 2 a 1, manter-se no torneio e chegar eventualmente ao título. Poucos deram destaque para o atacante do Albion, que, de certa forma, tornou tudo isso possível.

Interesse de grandes e renovação de contrato

Após o protagonismo em Old Trafford, Berahino já informou que negocia com o West Brom um novo acordo. E com o recente interesse de Everton e Arsenal no garoto, o clube não deverá economizar no aumento salarial, principalmente pelo baixíssimo valor do atual vínculo. O time tem a opção de estender o contrato até 2015 e deverá exercer essa vantagem. O atacante já demonstrou, durante entrevistas, uma enorme gratidão aos Baggies pela chance que lhe foi dada. Mantendo os bons números e a mesma mentalidade que tem agora, o atacante tem tudo para retribuir ao Albion muito mais que a equipe lhe deu.