Às vésperas do duelo mais importante do ano até aqui, o PSG viveu uma tarde difícil. Não pelo resultado. Jogou contra o Bordeaux e venceu por 1 a 0. O problema foi que Edinson Cavani, autor do gol da vitória em um pênalti que não aconteceu, teve que sair de campo pouco depois de balançar as redes. A preocupação é grande, porque o duelo com o Manchester United, pela Champions League, acontece na próxima terça-feira.

LEIA TAMBÉM: Para sempre, Emi: Nantes aposenta camisa 9 e eterniza a memória de Sala

O jogo deste sábado foi para lá de desinteressante. O PSG recebeu o Bordeaux, venceu por 1 a 0, mas não fez um bom jogo. O gol, marcado aos 41 minutos por Edinson Cavani, veio de um pênalti mal marcado pelo árbitro em cima do lateral direito Thomas Meunier. O time de Paris ainda criou algumas chances no primeiro tempo, e até algumas no segundo, mas quem mais desperdiçou a bola foi o Bordeaux. Foram diversas chegadas importantes no ataque, mas as finalizações erradas atrapalharam.

“Não, eu não tenho boas notícias. Nós temos que esperar. Na terça, eu não sei honestamente [se Cavani poderá jogar]. Sim, é preocupante, não é um bom sinal. Se os seus principais jogadores não estão lá, é diferente. Nós não temos um segundo Edi [Cavani], não temos um segundo Neymar…”, afirmou o treinador do PSG, Thomas Tuchel. Cavani saiu com dores na coxa e suspeitas de uma lesão naquela região.

Para não dizer que só houve notícias ruins, o PSG teve a volta de Marco Verratti. O italiano é crucial para o meio-campo dos parisienses e conseguiu entrar em campo e fazer uma boa partida. “Nós estamos muito felizes que Marco voltou. Quando ele saiu [aos 13 minutos do segundo tempo], foi mais difícil controlar o jogo. É realmente difícil jogar quando você ficou machucado como Marco. Não sei se é possível que ele jogue novamente em três dias. Na nossa situação, deve ser necessário tentar. Nós temos que esperar pela opinião do médico e fisioterapeutas. Eu sei a opinião de Marco, se eu perguntar a ele, ele irá me dizer que pode jogar. Ele não teve dores hoje. Quando eu o substituí, ele não estava feliz. Não foi possível ouvi-lo, em outra situação ele teria jogado 90 minutos”, disse o técnico.

Tuchel foi perguntado o que fazer se tiver que jogar sem Edinson Cavani, como se tornou uma possibilidade. “Há muitos planos B. Sem Ney, talvez sem Marco, talvez sem Edi. Nós temos plano D. Nós temos que analisar o Manchester, continuar confiantes e calmos. Para partidas assim, você precisa dos seus jogadores chave com confiança, experiência e qualidade. Eles estão acostumados a jogar essas grandes partidas. Mas se dois ou três jogadores chave não estão á, é nossa responsabilidade encontrar soluções. É superdifícil. Se nós estivermos sem vários jogadores, o desafio é ainda maior. Na terça nós estaremos prontos”, afirmou ainda Tuchel.

Veremos o que acontece na terça-feira, às 18h, quando o PSG viaja até Old Trafford para o seu segundo jogo na Inglaterra nesta temporada pela Champions League. Na fase de grupos, o time de Tuchel foi até Anfield Road e perdeu em um jogaço, 3 a 2. Desta vez, tem a missão de enfrentar um time que se recuperou e tem jogado bem, o United de Ole Gunnar Solskjaer. Certamente sem Neymar. Talvez também sem Cavani.