AlemanhaBundesliga

O Hertha colocou 25 mil no Estádio Olímpico para enorme tributo a Marcelinho Paraíba

Marcelinho Paraíba é considerado um dos maiores ídolos do Hertha Berlim. Contratado em 2001, reforçou um elenco que já era muito bom e tinha disputado a Liga dos Campeões na temporada anterior. Não chegou a repetir o feito, mas manteve os alviazuis no topo da tabela da Bundesliga, figurando com frequência na Copa da Uefa. Além disso, ajudou a oferecer as duas últimas glórias dos berlinenses, com o bicampeonato da extinta Copa da Liga. Deixou o clube cinco anos depois, artilheiro do time em todas as temporadas desde então, acumulando 79 gols e 193 partidas.

VEJA TAMBÉM: O muro isolou Berlim Ocidental, mas não rompeu a devoção da torcida do Hertha

Neste sábado, depois de uma década, Marcelinho retornou ao Estádio Olímpico. O Hertha ofereceu um jogo de despedida ao seu ídolo, às vésperas de completar 42 anos e ainda na ativa com o Treze. E os torcedores voltaram a ovacionar o brasileiro, com 25 mil presentes nas arquibancadas. Em campo, vários outros destaques berlinenses do passado, assim como jogadores brasileiros que fizeram carreira na Alemanha durante as últimas décadas. Entre os convidados, nomes como Arne Friedrich, Gabor Király, Kevin-Prince Boateng, Élber, Aílton, Dedê, Dunga, Ewerton, Tinga, Lincoln e Paulo Sérgio.

Quando a bola rolou, prevaleceu o clima de festa. O time composto pelos brasileiros venceu os veteranos do Hertha por 7 a 6. Aquilo tudo, porém, era mero pretexto para celebrar a contribuição de Marcelinho ao clube. Diante dos aplausos e dos cânticos em sua homenagem, o veterano não segurou as lágrimas. Uma história tão marcante ganha o seu ponto final, de maneira grandiosa.

marcelinho marcelinho1 marcelinho2 marcelinho4 marcelinho5

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo