Alemanha

O Bayern que se cuide

Desde que começou a Bundesliga neste ano, a grande discussão no país – e em todo o mundo que acompanha alguma coisa do futebol alemão – era quem seria o candidato a vice-campeão. Claro, o Bayern não teria concorrentes à altura. Depois de abrir sete, oito pontos de vantagem para o segundo colocado, essa impressão ficou ainda mais forte.

Eis que, em plena 12ª rodada, depois de dois empates sem gols, o vice-líder chegou a apenas dois pontos de diferença para o todo-poderoso time de Munique. O responsável por esse “feito” é o Hamburg. Depois de rondar o meio da tabela, os hanseáticos emplacaram uma série de quatro vitórias consecutivas e sete jogos sem derrotas. No mesmo período, o Bayern teve desempenho semelhante, com apenas um empate a mais. O suficiente para permitir que os rivais do norte se aproximassem de vez.

No papel, o HSV tem um elenco excelente. Na defesa, Kompany, que na temporada passada ficou o ano todo quebrado, é o grande xerife do time. A seu lado, Joris Mathijsen, Jerome Boateng e Bastian Reinhardt formam a segunda melhor linha defensiva do país, com apenas nove gols sofridos em 12 jogos (mesmo desempenho do Bayer Leverkusen).

No meio-de-campo, quando está inteiro, Rafael van der Vaart voltou a ser o dínamo que, tempos atrás, atraiu a atenção dos principais clubes do futebol europeu. O holandês, vice artilheiro do campeonato, com sete gols, é acompanhado pelo conterrâneo Nigel de Jong e pelo tcheco David Jarolim. O ataque é menos constante. Olic e Guerrero não são gênios e não são tão efetivos quanto os dois centroavantes do Bayern.

O que mais chama a atenção é que o time tem jogado bem e bonito, tal qual o rival que torrou mais dinheiro no país. Mérito, aí, do técnico Huub Stevens, que chegou no começo do ano para salvar o Hamburg do rebaixamento e, em pouco tempo, conseguiu montar uma equipe fortíssima. Não à toa, o holandês foi sondado e convidado pelo PSV para assumir o lugar deixado por Ronald Koeman. O clube da Philips ouviu um “não, obrigado”.

A questão a ser respondida pelo HSV a partir de agora é se conseguirá manter o bom futebol até o final da temporada e, assim, impedir que o Bayern transforme a edição 2006/07 da Bundesliga no marasmo que se desenhava. Esse sucesso passa – e muito – pela integridade física de Van der Vaart e Kompany, dois alicerces do elenco. Os dois estavam lesionados na temporada passada, o time foi mal. Agora que estão bem, o time voa.

Fica a torcida. Não pelo Hamburg especificamente, mas sim pelo campeonato.

Cai mais um zero da tabela

Demorou 12 rodadas, mas o Energie Cottbus enfim venceu sua primeira partida no campeonato. A vítima do lanterna da Bundesliga foi o Schalke 04, que, pouco a pouco, cai pela tabela.

O curioso é que, mesmo com esse desempenho tão fraco até agora, o time da antiga Alemanha Oriental tem o mesmo número de derrotas que, entre outros, o Hertha Berlim, décimo colocado.

Agora, restam apenas mais dois zeros na tabela. O que está mais acima é o de nenhuma derrota do Bayern de Munique. O outro, mais próximo do Cottbus, é o de nenhum empate do vice-lanterna Duisburg.

Um a zero…
…e o Stuttgart conseguiu se vingar do Nuremberg, carrasco na final da última Copa da Alemanha. O VfB soma agora duas vitórias consecutivas na Bundesliga, melhor desempenho do time até agora.

Duas partidas…
…sem vencer e a imprensa alemã já pergunta: quem acabou desligou o Bayern da tomada? A defesa, entretanto, segue sem sofrer gols. E Lúcio está na lista de candidatos a craque do mês.

Três gols…
…com participação de brasileiros pelo Wolfsburg no fim de semana, mas os Lobos não conseguiram bater o Bochum. Os alviverdes perdiam por 4 a 0 no intervalo, fizeram dois gols (um com assistência de Marcelinho e outro de Grafite) e deram a impressão de que se recuperaria, mas Epalle fez o quinto. Grafite, ainda fez mais um.

Quatro a zero…
…sobre o Arminia Bielefeld foi a maior goleada conquistada pelo Bayer Leverkusen na temporada. Só nesse jogo, o time fez quase um quarto dos gols que nos 11 jogos anteriores. Agora, soma 18 gols pró e nove contra.

Seleção da rodada*
Nikolov (Eintracht Frankfurt); Eggimann (Karlsruhe), Mitreski (Energie Cottbus), Mertesacker (Werder Bremen); Zé Roberto (Bayern de Munique), Epalle (Bochum), Sestak (Bochum), Barbarez (Bayer Leverkusen); Gómez (Stuttgart), Grafite (Wolfsburg), Gekas (Leverkusen)

Destaque da rodada*
Oka Nikolov, goleiro do Eintracht Frankfurt. Quebrou um tabu que durava desde 4 de dezembro de 1976, a última vez que o clube jogou, em casa, e não sofreu gols diante do Bayern de Munique. Naquele dia, o Eintracht fez 3 a 0 nos bávaros. E o herói do jogo foi justamente o homem responsável por parar o poderoso ataque do Bayern.

Fichas completas da 12ª rodada
Clique aqui para conferir.

*ambos de acordo com a revista alemã kicker.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo