Bundesliga

Relógio intacto: gol no final, virada e Hamburgo se salva do rebaixamento mais uma vez

A última rodada da Bundesliga reservou um jogo muito decisivo com um confronto direto. Dois times importantes na Alemanha brigando para não caírem. O Hamburgo, que tantas vezes nos últimos anos ficou brigando na parte de baixo da tabela, contra o Wolfsburg, um time de histórico recente de peso no país, mas que esta temporada também viveu ameaçado pelo rebaixamento. O Hamburgo mostrou em campo a razão de estar tão mal. Mesmo assim, arrancou uma vitória épica contra o Wolfsburg de virada, 2 a 1, com um gol no final de um garoto que veio do banco. Quem disputa a repescagem para não cair é o Wolfsburg.

LEIA TAMBÉM: O título inesperado de uma geração marcante: há 10 anos, o Stuttgart conquistava a Bundesliga

O clima era de final e campeonato. A torcida do Hamburgo, lotando o estádio, gritava a plenos pulmões para apoiar o time. Um time que mesmo com o peso da camisa do Hamburgo, campeão alemão seis vezes, além de campeão europeu. Só que esse é um passado distante. Nos dois casos, porém, conquistas dos anos 1980.

A realidade do Hamburgo é que o clube joga para tentar escapar mais uma vez do rebaixamento. Tenta evitar ter que lutar no playoff contra o descenso pela terceira vez em quatro anos. A situação dramática não parece afetar o entusiasmo dos torcedores. E nem o orgulho do relógio dentro do Volksparkstadion.

O Hamburgo é o único time que jogou todas as edições da Bundesliga e é, ao lado do Bayern de Munique, os unidos times que não foram rebaixados. Um orgulho mantido a duras penas nas últimas temporadas e que ficou por um fio mais de uma vez. Nesta temporada, tem os brasileiros Douglas Santos, ex-Atlético Mineiro, e Walace, ex-Grêmio. Os dois que estiveram na Olimpíada de 2016. Os dois estiveram em campo neste sábado.

Com todo esse contexto, o Wolfsburg em campo se mostrava um time mais forte. E conseguiu abrir o placar aos 23 minutos. Depois de um rebote de escanteio, Sebastian Jung cruzou para a área e Robin Knoche cabeceou bonito para marcar 1 a 0 e arrefecer a força dos gritos dos torcedores do Hamburgo. Só que o time da casa, mesmo sem jogar um grande futebol, é muito raçudo e não desistiu. Aos 32 minutos, Lewis Holtby (aquele mesmo, ex-Tottenham) fez o passe para o lado esquerdo e encontrou Filip Kostic, que finalizou meio sem jeito para empatar a partida.

Os dois times foram para os vestiários no intervalo com a igualdade. Um empate que não interessava ao Hamburgo, que só escaparia do playoff com uma vitória. Só que era o Wolfsburg quem ficava mais com a bola no início do segundo tempo. Nenhum dos dois times, porém, criava chances realmente claras.

Depois do início de segundo tempo melhor do Wolfsburg, o Hamburgo foi ao ataque, mesmo que à força. Mesmo sem conseguir articular muito bem as jogadas. Usava as laterais para tentar alcançar os pontos mais avançados do seu ataque e tentar algo que levasse perigo. À medida que o tempo passava, o Wolfsburg se contentava em retrair, já que o Hamburgo forçava para conseguir o gol salvador.

No final do jogo, aos 43 minutos, a magia apareceu. Não em uma jogada maravilhosa, como o Ronaldinho era capaz. Nem em um lance de extrema habilidade, mas aquelas grandes histórias. Luca Waldschmidt completou 21 anos na sexta, dia 19. Entrou no lugar de um dos melhores jogadores do time, Holtby. Tudo para tornar o time mais ofensivo, já que Waldschmidt é atacante. E foi com ele dentro da área que o time arrancou o gol salvador.

Um lançamento para a esquerda foi muito longo para Kostic, que teve que se esforçar para evitar a saída quase na bandeirinha de escanteio. Ele então cruzou para a área uma bola alta, que passou por todo mundo e foi para a segundo trave. Era lá que estava Waldschmidt, que cabeceou para as redes e marcou. Seu primeiro gol na temporada. Um gol salvador, decisivo.

Nos últimos minutos, o Wolfsburg se desesperou e foi ao ataque. Desajeitado, tentou, chutou para a área como conseguiu e o Hamburgo se segurou. E olha que essa não é uma missão fácil para um time que tomou 61 gols ao longo de toda campanha na Bundesliga, uma média alta de gols sofridos. Não desta vez.

O Dinossauro fez força e evitou a queda. Mais uma vez. E parece que ninguém consegue derrubar esse clube, mesmo com o time fazendo tudo para ter que jogar a segundona da Bundesliga. O relógio está a salvo. O Hamburgo está a salvo. Azar do Wolfsburg, que terá que jogar a repescagem para continuar na primeira divisão. O time com jogadores como Luiz Gustavo, Mario Gómez e Jakub Blaszczykowski terá que lutar contra o rebaixamento.

Veja a invasão de campo, os melhores momentos da partida e, abaixo, os jogadores comemorando com cerveja em campo. Que cena!

A torcida invadiu o Volksparkstadion depois do Hamburgo garantir permanência na Bundesliga (HSV/divulgação)
A torcida invadiu o Volksparkstadion depois do Hamburgo garantir permanência na Bundesliga (HSV/divulgação)

 

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo