Bundesliga

Há 10 anos, o Dortmund negava o fim do jejum do Schalke em pleno dérbi

O dérbi entre Borussia Dortmund e Schalke 04 coleciona boas histórias. Mas entre tantos episódios marcantes, entre tantos clássicos eternos, o que aconteceu há exatos 10 anos tem um lugar especial na memória de aurinegros e azuis reais – sem provocar exatamente os mesmos sentimentos. O BVB vivia um período difícil de sua história, tentando superar uma séria crise financeira. Enquanto isso, via os rivais saborearem a chance de voltar ao topo do país pela primeira vez desde a década de 1950. E o confronto da penúltima rodada da Bundesliga 2006/07 acabou sendo decisivo. O clube de Gelsenkirchen visitaria o Signal Iduna Park. Amargou uma de suas maiores decepções, em meio ao sarro em amarelo e preto que soava alto da Muralha Amarela.

VEJA TAMBÉM: De cães a leões, os jogos que moldaram a rivalidade feroz entre Dortmund e Schalke

A Salva de Prata parecia pronta para ser entregue ao Schalke 04. A equipe treinada por Mirko Slomka vinha voando desde meados do primeiro turno. Liderando a partir de fevereiro, tentava se distanciar do Stuttgart e do Werder Bremen, seus dois principais perseguidores. Entretanto, a falta de regularidade passou a colocar a posição dos Azuis Reais em xeque. E eles foram para a penúltima rodada, em Dortmund, precisando vencer para não correr maiores riscos. Encontravam um rival na modesta nona colocação, mas sedento para jogar água (do esgoto) no chope.

O Schalke contava com uma excelente equipe. Manuel Neuer, Bordon, Lincoln, Rafinha, Kevin Kuranyi, Gerald Asamoah e Mesut Özil estavam entre os seus destaques. Já o Dortmund de Thomas Doll lidava com uma realidade mais modesta. Nada que o intimidasse. O primeiro gol saiu aos 44 minutos, com Alexander Frei completando o cruzamento de Christopher Metzelder. Os Azuis Reais tinham dificuldades para ameaçar a meta de Roman Weidenfeller, enquanto Neuer trabalhava. Já aos 40 do segundo tempo, as esperanças dos visitantes se foram pelo ralo. Ebi Smolarek apareceu na área para fuzilar e eternizou sua comemoração escalando o alambrado, celebrando com a torcida. O triunfo dos aurinegros por 2 a 0 deixaria os seus rivais pelo caminho.

Nas arquibancadas, o contraste. Enquanto os visitantes de Gelsenkirchen choravam, os locais exibiam suas mensagens zoando o jejum de títulos. Rolou até mesmo um avião sobrevoando o Signal Iduna Park para humilhar os Azuis Reais. Com a vitória do Stuttgart sobre o Bochum, a Bundesliga tinha novo líder. E o Schalke não recuperaria o prejuízo sofrido em Dortmund, nem mesmo vencendo Arminia Bielefeld na rodada final. A Salva de Prata acabaria com os suábios, em sua primeira conquista desde 1992. Esta história, porém, fica para outro dia.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo