Alemanha, Bélgica e Países Baixos querem receber a Copa do Mundo Feminina em 2027

Os três países, que fazem fronteira um com o outro, se unem por Copa 2027 e devem ter a concorrência de uma candidatura escandinava

Alemanha, Bélgica e Países Baixos se uniram em uma candidatura conjunta para receberem a Copa do Mundo Feminina de 2027. Os três países anunciaram que apresentaram um plano para a Fifa e irão redigir mais detalhes, como cidades-sedes, nos próximos meses. Em 2019, Noruega, Suécia, Dinamarca, Finlândia, Islândia e Ilhas Faroe disseram que trabalhavam em uma candidatura conjunta, que seria de todos os países nórdicos e deve ser a principal concorrente para sediar o evento.

LEIA MAIS: Apoio da Uefa não basta para Colômbia e Austrália/Nova Zelândia vence disputa para sediar Copa do Mundo 2023

Sob o slogan de “Três nações, um objetivo” (“Three Nations, One Goal”, em inglês), as três federações afirmaram que o documento oficial com os dados da candidatura será apresentado até o final do ano, antes de começarem as negociações com os governos nacionais. A Fifa ainda não estabeleceu um prazo para as candidaturas serem enviadas.

“Nós queremos a Copa do Mundo Feminina, o maior evento esportivo feminino do mundo, que aconteça aqui em 2017”, afirmou o executivo-chefe da federação belga, em Peter Bossaert. “Em anos recentes, com a Eurocopa nos Países Baixos em 2017 e a Copa do Mundo na França em 2019, nós vimos o que um evento como esse pode trazer: grandes partidas, estádios cheios, um grande número de pessoas assistindo pela TV e visitantes de todo o mundo”.

“O futebol feminino é tradicionalmente conhecido por seu forte senso de comunidade, nos quais todos os envolvidos têm um olhar sobre o aspecto geral, que é de desenvolver o esporte, dentro e fora de campo”, diz o comunicado da candidatura conjunta. “O fato de estarmos abordando esse projeto juntos, como três competidores do futebol, também como bons vizinhos, combina bem com essa filosofia”.

“O futebol feminino nos nossos países está de fato em diferentes fases de desenvolvimento, mas nós compartilhamos a aspiração de dar ao esporte um impulso nacional e globalmente ao organizar esta Copa do Mundo”, continua a nota dos três candidatos.

A próxima Copa do Mundo Feminina será em 2023 e será realizada na Austrália e Nova Zelândia, que venceram uma disputa com a Colômbia para sediar o evento. Japão e Brasil, que eram candidatos, desistiram antes da disputa. O primeiro para apoiar a Austrália e Nova Zelândia, o segundo para apoiar a Colômbia.

A Alemanha já foi sede da Copa do Mundo feminina, em 2011, quando a seleção japonesa foi a campeã do mundo, com Homare Sawa como destaque. A então camisa 10 do Japão foi depois escolhida como a melhor jogadora do mundo. Países Baixos sediaram a Eurocopa Feminina, em 2017, quando a seleção neerlandesa terminou campeã. A Bélgica jamais sediou um evento de grande porte do futebol feminino.

A Inglaterra irá sediar a próxima edição da Eurocopa Feminina, em 2022. O torneio estava previsto para 2021, mas foi adiado pela pandemia do coronavírus, porque a Eurocopa masculina foi adiada de 2020 para 2021. A próxima Copa América Feminina será em 2022, mas ainda não tem uma sede definida.