A torcida do Milan ganhou alguns bons motivos para se animar nas últimas semanas. A primeira veio com o adeus de Li Yonghong. O empresário chinês de fortuna nebulosa não vinha honrando seus compromissos financeiros e se recusava a vender o clube, mas precisou ceder o controle ao dar o calote no empréstimo realizado junto ao fundo de investimentos Elliott Management. A companhia americana demonstra uma seriedade bem maior na gestão e, depois de uma limpa no comando, traz antigos ídolos de volta a Milanello. E o melhor sinal está no retorno de Paolo Maldini. A lenda teve sua participação na diretoria confirmada neste domingo. Vai ser o diretor de desenvolvimento estratégico.

Maldini foi um dos críticos mais costumeiros do período de Li Yonghong à frente do Milan. Assim que a nova direção assumiu o clube, tentou levar para a direção o veterano. Entretanto, os esclarecimentos que ele pediu para assumir o cargo não foram atendidos. Sentiu que seria apenas um elemento decorativo. Segundo o ex-jogador, a ideia era que dividisse as decisões esportivas, sobretudo nas contratações, com o diretor executivo Marco Fassone. Sem ter autonomia no seu posto e servindo de escudo, como nome mais conhecido, preferiu recusar. Afinal, a “grife” Maldini seria um selo de confiança ao que pretendessem os novos administradores dos rossoneri. Além de negar a posição, o craque passou a questionar constantemente as decisões da gestão encabeçada por Fassone.

No fim das contas, Maldini tinha sua dose de razão. E, diante do ocorrido, sua chegada ao clube neste momento renova ainda mais as esperanças dos torcedores ao redor do que poderá ser feito. Se o veterano decidiu se envolver com o projeto, o sinal é de que as intenções estão mais fundamentadas. Depois de se aposentar, o ex-defensor se envolveu em algumas funções administrativas, inclusive como um dos donos do Miami FC, clube da NASL. Todavia, este será o seu maior desafio esportivo.

“A nova era do Milan é reforçada pelo nome de Paolo Maldini, que se torna o novo diretor de desenvolvimento estratégico na área esportiva. Paolo é uma lenda viva na história rossonera por sua classe excepcional, seu talento, sua liderança, sua lealdade e seus sucessos, que são incomparáveis. Essas qualidades terão um papel decisivo em trazer o Milan de volta ao lugar que merece estar”, escreveu o clube, em nota oficial. Não está confirmada qual a função do veterano, mas imagina-se que esteja ligado ao envolvimento das categorias de base. Uma coletiva de imprensa acontecerá nesta segunda, com sua apresentação oficial.

Atual presidente do Milan, Paolo Scaroni exaltou o novo funcionário do clube: “Não há palavras para descrever o que Paolo Maldini representa ao Milan. Foi um privilégio vê-lo jogar e ganhar troféus incontáveis em campo. Estou feliz e honrado em trabalhar com ele nesta nova função. A liderança e a experiência de Paolo irão beneficiar bastante o clube, assim como a sua paixão e a sua energia. O anúncio deste domingo é mais um sinal do compromisso da Elliott em construir uma fundação sólida para o sucesso de longo prazo. Não será fácil, levará tempo, mas temos objetivos ambiciosos e a chegada de Paolo é um passo importante rumo ao retorno do grande Milan”.

O nome de Maldini, por si, não garante o sucesso do Milan. Se em campo as memórias são indeléveis, fora dele o italiano precisará se provar. Mas o risco que assume quanto à sua reputação é um bom indicativo. Se não necessariamente sobre ele, ao menos quanto ao entorno dos rossoneri nesta nova fase.