Qual foi o jogo mais intenso do futebol brasileiro no final de semana? Você pode ter as suas sugestões, mas deve considerar o que aconteceu na Arena da Floresta neste domingo. Rio Branco e Manaus se enfrentaram pela terceira rodada da fase de grupos da Série D. Protagonizaram uma partidaça de sete gols e emoção até o último suspiro – o que não quer dizer necessariamente que foi “bem jogada”, que fique claro. Melhor para os amazonenses, que arrancaram o triunfo por 4 a 3 no último lance, aos 50 do segundo tempo. A equipe treinada por Igor Cearense possui a melhor campanha da quarta divisão até o momento, com nove pontos conquistados (assim como outros cinco clubes), bem como o melhor ataque, somando dez gols.

O primeiro tempo do Manaus foi elétrico. Com apenas 16 minutos, os visitantes aproveitaram dois erros defensivos do Rio Branco, abrindo 2 a 0 no placar. O veteraníssimo Marcelo Nicácio e Maceió anotaram. A reação dos alvirrubros só aconteceu pouco antes do intervalo. Diogo Dolem descontou e, quando Matheus Nego balançou as redes, a arbitragem anulou o tento por impedimento. Só uma prévia da segunda etapa maluca que viria.

 

O Rio Branco voltou ao segundo tempo em ritmo intenso. Logo acertou uma bola na trave. No entanto, quando os anfitriões tentavam pressionar, Nena marcou o terceiro ao Manaus. Hora de desistir? Nada disso. Os acreanos assinalaram o segundo aos 18 minutos, com Mateus Oliveira. Já aos 27, saiu o empate, com Rodolfo aproveitando um rebote do goleiro. E os alvirrubros seguiram insistindo na virada, com mais uma bola na trave.

Por fim, o lance decisivo aconteceu em uma bola vadia, quando o 3 a 3 parecia consumado. O Manaus tinha uma cobrança de falta na lateral da área, próxima à linha de fundo. O levantamento passou por todo mundo e encontrou Jean Carlo sozinho na segunda trave. Mesmo desengonçado, o zagueiro conseguiu cabecear em direção ao chão e a bola entrou, sem chances para o goleiro do Rio Branco. Apito final, festa manaura. Pode não ter sido o confronto de melhor nível técnico. No quesito “reviravolta”, contudo, poucas são as partidas que se equiparam nesta temporada. Ao todo, 313 pagantes foram felizardos por ver a montanha russa no Florestão.

Série B

– A Macaca mandou no Dérbi do Brinco

Existiam enormes expectativas sobre o que aconteceria no Brinco de Ouro da Princesa, onde Guarani e Ponte Preta voltaram a se enfrentar após cinco anos. O Dérbi Campineiro, infelizmente, terminou com a nota triste pela violência entre as torcidas, que resultou na morte de Leonardo Bernardes, pontepretano de 18 anos baleado por bandidos identificados como bugrinos. Em campo, ao menos, foi possível assistir a uma grande partida. Um jogo que pendeu à Macaca, se impondo ao longo dos 90 minutos e conquistando a vitória por 3 a 2.

Mais de 18 mil torcedores criaram um inferno verde no Brinco, e a pressão parecia dar resultado, quando Danilo Barcelos marcou contra, abrindo o placar ao Guarani. No entanto, a Ponte fez a sua melhor partida no ano e soube se reerguer, com a participação fundamental do próprio Barcelos, autor de duas assistências. Antes dos 25, Reginaldo e André Luis viraram, enquanto o goleiro Bruno Brígido evitou o terceiro, por mais que o Bugre tentasse responder do outro lado. Já na segunda etapa, André Luis marcou mais um e Rondinelly diminuiu cobrando pênalti, sem que isso impulsionasse uma reação alviverde.

André Luis, aliás, se tornou o grande herói da Ponte. O jogador de 21 anos passou por clubes como Santos, Atlético Paranaense e Santa Cruz, até chegar ao Majestoso por indicação do técnico Doriva. A comemoração do seu segundo gol evocou um clássico. O jovem colocou a máscara de um gorila, a mesma usada pelo argentino Darío Gigena quando fez três gols contra o Guarani no Brasileirão de 2003. Com o triunfo, a Macaca igualou o retrospecto nos dérbis disputados no Brinco de Ouro, com 17 vitórias para cada lado. Nesta terça, o Bugre se recuperou um pouco, ao vencer o lanterna Criciúma em Campinas.

– O Vila Nova 100% e, mais gostoso, em cima do Goiás

Outro clássico de peso na Série B aconteceu no Serra Dourada. E a torcida do Vila Nova não poderia ser mais feliz. O Tigre não tomou conhecimento do Goiás, vencendo os rivais por 3 a 1 e os afundando na crise. Ao término da quarta rodada, os colorados eram os únicos com 100% de aproveitamento na segundona do Brasileiro, liderando com 12 pontos. Já os esmeraldinos veem sua fraca campanha agravar a crise interna. Fecharam a rodada no Z-4 da competição. O duelo também terminou em confusão nas arquibancadas, com brigas entre os alviverdes e a polícia militar – em partida de torcida única. Um boçal com a camisa do Goiás chegou a sacar uma arma, embora não tenha feito disparos ou apontado o revólver para alguém. Dez policiais terminaram o jogo feridos.

Diante de 7,5 mil torcedores, o Vila precisou de oito minutos para abrir o placar, com Reis. A equipe era melhor, mas acabou chamando o Goiás para o seu campo e permitiu que Rafinha empatasse aos 25. Somente após o susto é que o Tigre retomou a pressão, com direito a duas bolas no travessão. Durante o segundo tempo, coube a Alan Mineiro resolver. O camisa 9 anotou o segundo em uma belíssima cobrança de falta, mandando no ângulo E caberia a ele fechar a conta, aproveitando jogada de Maguinho.

Sinal da boa fase, o Vila Nova aproveitou para tirar sarro nas redes sociais, já que a própria torcida do Goiás gritou “olé” nos minutos finais do clássico – enquanto, revoltada, também provocou duas paralisações no encontro e atirou pedras no gramado. Com 12 pontos, o Tigre fechou a rodada acompanhado por Fortaleza, Paysandu e CSA no G-4. O Goiás preferiu demitir o técnico Hélio dos Anjos horas depois. Ney Franco foi escolhido como substituto, com carta branca para fazer mudanças no elenco.

– Segundona de primeira na segunda-feira

Não é nada comum jogos da Série B acontecendo na segunda-feira. A novidade se deu no Maranhão, onde Sampaio Corrêa e CRB faziam confronto de desesperados, ambos tentando se afastar da zona de rebaixamento. E, diante das situações complicadas, a partida foi eletrizante. Os alagoanos venceram por 3 a 2, em noite de três gols e uma expulsão já depois dos 40 do segundo tempo. Na primeira etapa, Bruno Paulo deixou os alvirrubros em vantagem e a Bolívia Querida igualou pouco antes do intervalo, com João Paulo.

Já no segundo tempo, o goleiro João Carlos ia adiando a virada dos maranhenses, até que o pandemônio se instaurasse a partir dos 42 minutos. Neto Baiano marcou o segundo do CRB, enquanto Uilliam seria expulso no Sampaio logo depois. Os tricolores não desistiram e Maracás empatou aos 48. No entanto, os alvirrubros assinalaram o tento decisivo aos 50, em cabeçada de Flávio Boaventura. Cabe ponderar que os dois lados ficaram na bronca com a arbitragem. Beirando o Z-4, a torcida da casa protestou contra o técnico Francisco Diá, demitido nesta terça.

– Tripleta em Alagoas

O CRB se recupera apenas agora na Série B. Depois de sofrer três derrotas nas três rodadas iniciais, a primeira vitória só aconteceu no final de semana. E contou com o brilho de Willians Santana. O rodado meia (Vitória, Palmeiras, Fluminense, Sport, América Mineiro, Bahia e muitos outros) balançou as redes três vezes no triunfo por 3 a 1 sobre o Atlético Goianiense. Um respiro importante aos alvirrubros. O medalhão divide a artilharia da segundona com outros três jogadores, todos com três gols.

– O golaço do Bentão

O São Bento saiu satisfeito da Ressacada, ao arrancar o empate por 1 a 1 contra o Avaí. Mas o melhor mesmo foi a maneira como os paulistas buscaram a igualdade. O tento do Bentão saiu em uma verdadeira pintura de Zé Roberto. Após bate-rebate na área, o camisa 9 pegou a sobra. Driblou o goleiro Aranha e, com a meta aberta, resolveu dar um sutil toque de calcanhar. O resultado manteve a invencibilidade dos visitantes, com uma vitória e três empates. Estão em uma situação intermediária parecida com a do Avaí, que soma um ponto a menos. No próximo sábado, o Leão terá pela frente o clássico contra o Figueirense.

– Mudança em Varginha

O Boa Esporte não venceu um jogo sequer nesta Série B. São quatro derrotas em quatro rodadas. Pior, o gol no tropeço contra o Juventude na última semana significou o fim de um jejum de dois meses sem balançar as redes. Assim, a dança das cadeiras se tornou natural. O técnico Sidney Moraes pegou o chapéu e os mineiros contrataram para o seu lugar Daniel Paulista, cuja experiência se concentra especialmente nas passagens pelo Sport. Seu auxiliar será o ex-zagueiro Chicão, aposentado desde 2015. Outro time ainda sem pontuar é o Criciúma. Mesmo com cinco derrotas em cinco jogos (com o revés na visita ao Guarani nesta terça), Argel permanece no cargo – por enquanto.

Série C

– Confiança e Atlético Acreano sobrando

Os líderes do Grupo A na Série C, de certa maneira, surpreendem. Confiança e Atlético Acreano, mesmo não sendo de estados tão tarimbados no cenário do futebol nacional, peitam a concorrência para despontar neste início de campanha. O Confiança conquistou um resultado fundamental no sábado. Dentro da Arena Pernambuco, bateu o Náutico por 4 a 2, em placar construído no início do segundo tempo. São nove pontos ao Dragão, que conta também com o melhor ataque da competição e contribuiu para a demissão do técnico Roberto Fernandes – o Timbu ainda procura seu substituto. Já o Atlético Acreano, na temporada em que retorna à terceirona após 23 anos, começou voando. Também com nove pontos, a equipe bateu o Salgueiro por 3 a 1, em Pernambuco. Na próxima rodada, ambos os líderes jogam em casa.

– Fantasma assombra no Grupo B

O Operário Ferroviário cumpriu uma de suas missões na temporada dias atrás, quando conquistou o acesso na segunda divisão do Campeonato Paranaense. E apesar do planejamento diferente em relação à concorrência, o Fantasma começa muito bem sua empreitada na Série C. São nove pontos em quatro rodadas. Neste domingo, em Ponta Grossa, os alvinegros bateram o Joinville por 2 a 0, com dois gols no fim. Os catarinenses decepcionam. Com apenas três pontos, ocupam a lanterna do Grupo B. Outro destaque é o Botafogo de Ribeirão Preto, vice-líder com oito pontos. Nesta segunda, os paulistas bateram o Volta Redonda por 2 a 0, dois gols de Felipe Augusto.

– Bruxa solta no Arruda

O Santa Cruz não embala neste começo de Série C. Permanece invicto, mas com uma vitória e três empates nas primeiras quatro rodadas. E depois do 0 a 0 contra o Remo no sábado, há uma certa preocupação para a sequência da semana. Danny Morais sofreu uma fratura no nariz e corre o risco de ter que passar por cirurgia. Já nesta terça, o técnico PC Gusmão perdeu para os treinos Carlinhos Paraíba, Robert e Luiz Otávio. O trio está com conjuntivite e não participará das atividades durante os próximos dias.

Série D

– Outro jogaço que rolou na Série D

ASA de Arapiraca e Central disputaram uma das partidas de maior peso nesta rodada da Série D. E como era de se esperar, foi um jogaço. O empate por 3 a 3 prevaleceu em Alagoas, com emoção até o final. Durante o primeiro tempo, André Beleza abriu o placar ao ASA, mas o Central virou com tentos de Washington, Danilo Quipapá e Leandro Costa. Por fim, ainda houve uma reação inacreditável dos anfitriões, que buscaram o empate depois dos 31 do segundo tempo. Chiquinho foi o herói, autor de ambos os tentos. Nos acréscimos, ainda rolaram duas expulsões, uma para cada lado.

– O azar de Danilo Bala

Era uma semana de alegria ao Campinense. Danilo Bala estava na mira do CRB, mas garantiu que permaneceria na Paraíba, mesmo podendo escalar duas divisões. Logo no seu primeiro jogo depois do “fico”, porém, o destaque se lesionou. Fraturou a clavícula e deverá passar os próximos dois meses em recuperação. Foi submetido a uma cirurgia nesta segunda. A notícia positiva, ao menos, fica para a vitória por 2 a 1 sobre o Flamengo de Arcoverde, fora de casa, que mantém a Raposa na liderança de sua chave.

– Moto Club se supera

A semana foi turbulenta ao Moto Club. O elenco passou dias sem treinar, em protesto por conta dos salários atrasados. Em consequência da crise, o técnico Marcinho Guerreiro e parte da comissão técnica rescindiram seus contratos. Já sob nova direção, com a chegada de Luís Miguel ao comando, os rubro-negros fizeram sua parte no jogo. Com um gol de Victor Salvador, aos 38 do segundo tempo, o Papão venceu o Altos por 1 a 0 no Nhozinho Santos e manteve a invencibilidade, com nove pontos.

– Macapá encerra o jejum de oito meses

O retorno do Macapá às divisões nacionais, após 26 anos de espera, vinha sendo turbulento. Entre mudanças no comando e no elenco, o time tropeçou em seus dois primeiros compromissos. Mas diante do Baré, conquistou sua primeira vitória após mais de oito meses. O jejum de nove jogos, cabe ponderar, tem influência pelo calendário do Campeonato Amapaense – que começou apenas no fim de março. Mas nada que diminua a importância do 2 a 1 no placar. O Macapá ainda precisou jogar com um a menos durante boa parte do duelo, que teve três expulsões, duas para o seu lado. Conseguiu conter a pressão dos roraimenses, entre chances desperdiçadas e boas defesas do goleiro Deco. O arqueiro, aliás, é personagem especial. No meio da semana, tinha entregado uma bola bizarra ao Santos na fase de classificação do estadual, que culminou na derrota de sua equipe. A redenção veio da melhor maneira.

– Cenas lamentáveis no Presidente Vargas

O jogo entre Treze e Itabaiana não teve grandes incidentes dentro de campo, com a vitória do time de Campina Grande por 1 a 0. No entanto, o encontro foi bastante tumultuado além das quatro linhas. Duas bombas foram atiradas do lado de fora do Estádio Presidente Vargas, ferindo dois homens e uma criança de 11 anos. Por conta do ocorrido, a partida sofreu uma interrupção de cinco minutos. Além disso, um ônibus que transportava os torcedores do Itabaiana foi apedrejado nos arredores do local.

– Brasiliense e sua longa lista de “aqueles”

A lista de veteranos do Brasiliense parece não ter fim. O atual elenco conta com nomes como o centroavante Nunes, o zagueiro Lúcio, o lateral Wellington Saci e o meia Erick Flores. Nesta rodada da Série D, o destaque foi a estreia de Tartá. Além disso, o Jacaré apresentou o meia Morais. Dentro de campo, porém, quem brilhou é bem menos badalado. Peninha marcou três gols no massacre por 4 a 0 sobre o Corumbaense, dentro do Mané Garrincha. Ele saiu do banco, substituindo o meio-campista Souza, também “aquele”, que sentiu uma lesão.

– Novorizontino, com emoção

Na lista de partidas emocionantes na rodada da Série D, a vitória do Novorizontino sobre o Atlético do Espírito Santo certamente merece menção especial. O empate prevalecia até o fim do segundo tempo, quando o goleiro dos capixabas foi expulso e o volante Vítor precisou ser improvisado no gol, com as três substituições já feitas. Então, os paulistas cresceram na partida e conseguiram arrancar a vitória por 2 a 1. O gol decisivo saiu aos 48 do segundo tempo, em bola alçada na área que o zagueiro Vinícius Leandro desviou de cabeça.

– De Novo Horizonte para o Bernabéu

O Novorizontino fechou um baita negócio nesta semana. O clube vendeu o atacante Rodrigo, de apenas 18 anos, ao Real Madrid. Destaque das categorias de base do Tigre, o garoto foi descoberto em uma peneira em São Carlos, em 2015. No último ano, atuou no Mundial de Clubes Sub-17 emprestado ao Palmeiras, o que chamou a atenção dos merengues. Então, os espanhóis aguardaram o prodígio completar a maioridade para fechar o negócio. A transferência é estimada em R$18 milhões.

– O homem-gol do Brusque

Aos 35 anos, Lima chegou como grande reforço do Brusque para Série D. O rodado centroavante foi o artilheiro do último Campeonato Catarinense pelo Hercílio Luz e vinha para resolver os problemas ofensivos de sua nova equipe. Pois o início sai melhor do que a encomenda. O atacante anotou seis dos sete gols de seu time até o momento. Neste final de semana, balançou as redes quatro vezes na goleada por 5 a 1 sobre o Mogi Mirim, fora de casa. “Pediu música”, com o resultado que mantém os catarinenses no páreo pela classificação. A situação do Sapão, aliás, é claudicante. Diante da crise financeira, os paulistas contam os dias para o fim da Série D. A diretoria estuda licenciar o clube de suas atividades profissionais por dois anos ou até mesmo vender o Estádio Vail Chaves.

– De 0 a 100 na primeira metade da Série D

A fase de grupos da Série D chegou à sua metade neste final de semana. Seis clubes mantém os 100% de aproveitamento, se aproximando da classificação: Manaus, Moto Club, Campinense, Iporá, Tubarão e São José-RS. Já do outro lado da moeda, são cinco equipes que ainda não pontuaram no torneio nacional: Mogi Mirim, Nova Iguaçu, Dom Bosco, Santa Rita e Murici.

A coluna Lado B de Brasil é publicada semanalmente pela Trivela, às segundas ou às terças – a depender do calendário. Segue em frente até a Copa do Mundo. Foca principalmente nos jogos do final de semana.


Os comentários estão desativados.