Por tudo o que já experimentou na carreira, Magno Alves possui uma aura diferente. É uma entidade mística que, mesmo aos 42 anos de idade, segue conhecendo os atalhos às redes como poucos. E o quarto maior artilheiro do futebol ainda em atividade (atrás apenas de Cristiano Ronaldo, Messi e Ibrahimovic) permanece insaciável. Após deixar o Ceará como ídolo absoluto, disputou o Campeonato Paulista de 2018 pelo Novorizontino. Já nesta Série D, se tornou reforço do Tubarão. Precisou de um mísero jogo para ser decisivo aos catarinenses.

DICA DE LEITURA: O melhor guia possível da Série D do Campeonato Brasileiro

Apresentado na quinta-feira, Magno Alves começou no banco contra o Cianorte neste domingo, pela rodada inicial da quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Entrou em campo no segundo tempo. E, com apenas 11 minutos, já apareceu na área para definir a vitória do Tubarão por 1 a 0, escorando de cabeça. Foi o 448° gol de sua trajetória como profissional. Nas arquibancadas, a galera foi a loucura. “Ah, Magno Alves!” era o grito que se ouvia ao término do encontro, quando o astro concedia entrevista à beira do campo.

“Fico feliz porque é o primeiro de muitos, creio. Atacante vive de gols e esse é o primeiro de 2018. Agora é daqui para frente. Parabéns a todos, inclusive os torcedores que vieram em massa. Deu para sentir o carinho que tem por mim e pelo clube”, declarou o Magnata, que já tinha botado banca na apresentação. “A vida é feita de desafios. Não vim aqui para passear, mas sim para contribuir com os objetivos do Tubarão. Sozinho ninguém faz nada. Claro que não será apenas no discurso, mas também nas quatro linhas. O bom de ser 4.2 é que o motor é turbo. Larguei a família e vim aqui porque tenho ambição. Quando não tiver mais é o momento de parar”.

E enquanto o Tubarão vê sua ambição crescer com Magno Alves, há outro veterano que começou a Série D com tudo. O Brasiliense possui um histórico particular em contratar medalhões. No atual elenco, o protagonista é Nunes, aos 35 anos. Autor de 11 gols em 20 partidas no ano, ele manteve o ritmo forte ao garantir a vitória por 1 a 0 sobre o Dom Bosco. Um triunfo cardíaco, por sinal: o gol na Arena Pantanal aconteceu aos 48 do segundo tempo, em cabeçada certeira do centroavante. Além de Nunes, o Jacaré também possui no atual elenco o zagueiro Lúcio, Wellington Saci, Erick Flores e Michel Platini.

Série B

Milagreiro Ivan

A Ponte Preta contou com grandes goleiros ao longo da sua história. E o jovem Ivan parece pronto a manter a linhagem. Depois de se destacar no Campeonato Paulista e na Copa do Brasil, o arqueiro de 21 anos já garantiu os primeiros três pontos à Macaca na Série B. Fechou o gol na visita ao Criciúma, assegurando a vitória aos pontepretanos. Durante o segundo tempo, realizou quatro defesas de alto nível de dificuldade. Segundo suas próprias palavras, foi o jogo mais difícil de sua carreira como profissional.

Apagão na Curuzu

Após vencer a Ponte Preta fora de casa na rodada inaugural, o Paysandu acumulou o segundo triunfo em Belém. Derrotou o Londrina por 1 a 0. O assunto na Curuzu, porém, vai além do mero futebol. Um apagão atrapalhou a realização da partida, com uma parcela dos refletores desligando durante o primeiro tempo. Os jogadores precisaram esperar mais de meia hora e, logo após o reinício, o Papão se aproveitou da letargia dos paranaenses para balançar as redes com Mike.

Saída pelo alto

O jogo com mais gols na rodada da Série B aconteceu na Ressacada. Avaí e Brasil de Pelotas empataram por 2 a 2, com um detalhe fundamental: todos os tentos saíram em jogadas aéreas. Renato e Getúlio acertaram as testadas para o Leão da Ilha, enquanto o Xavante empatou duas vezes, com as cabeçadas de Michel e Éder Sciola – este, já aos 44 do segundo tempo. A torcida catarinense saiu na bronca e vaiou o time. Já são nove partidas sem vencer, em jejum que culminou na saída de Claudinei Oliveira, que estava à frente do time desde o acesso em 2016. Geninho estreou nesta rodada e não conseguir conter a insatisfação.

Mas que baita golaço, Elias!

A Série B já possui o seu candidato a gol mais bonito do campeonato. Elias, do Vila Nova, meteu um tirambaço contra o CRB e definiu uma vitória enorme aos goianos no Trapichão. Em uma Série B que começou com raros visitantes triunfando, os três pontos valem demais. Destaque também para o goleiro Mateus Pasinato, que segurou o 1 a 0 quando os alagoanos pressionavam. Agora é ver a sequência do Tigre, que começou bem a competição, somando duas vitórias.

Goiás, de presente

Do outro lado da rivalidade, o Goiás lamenta o mau início na segundona. Os esmeraldinos perderam os dois primeiros jogos. Neste final de semana, a derrota aconteceu dentro do Serra Dourada, durante a visita do Figueirense. Pior de tudo é que os dois gols dos catarinenses vieram de presente. No primeiro, Marcelo Brock foi recuar para o goleiro e acabou dando um cruzamento para Jorge Henrique, dentro da área, em um erro bisonho. Já o segundo Madison mandou contra o próprio patrimônio. O Figueira é outro que soma 100% de aproveitamento.

Os novos medalhões

Se há um motivo para a torcida do Goiás se animar, ele veio dias depois. O clube anunciou a contratação do meia Renato Cajá. Aos 33 anos, o veterano teve sua última passagem pela Ponte Preta, mas ainda não entrou em campo neste ano. Quem também trouxe outro nome conhecido foi o Guarani. O Bugre reforçará o ataque com Anselmo Ramón, atacante que possui lá a sua fama de perder gols, apesar do histórico por grandes equipes. E logo ali perto em Campinas, a volta de Luis Fabiano é discutida na Ponte Preta. O antigo ídolo da Macaca passa por um trabalho físico no clube e negocia a sua permanência para a Série B.

Nova peita do Fortaleza

Mais um time com seis pontos garantidos na Série B, ao derrotar o Boa Esporte na última terça, o Fortaleza vem de roupa nova para a sequência da campanha. O Leão do Pici apresentou seus novos uniformes, produzidos por uma marca do próprio clube. Na titular, destaque para a gola em V, com as tradicionais listras tricolores. Já a reserva será amarela com detalhes em verde, homenageando a seleção brasileira rumo à Copa do Mundo.

Festa do Coxa

A estreia do Coritiba em casa nesta Série B contou com espetáculo. O clube preparou uma recepção especial ao time no Couto Pereira, com luzes e fumaças durante a entrada dos jogadores. E, apesar da festa da torcida, a ocupação das arquibancadas decepcionou, com apenas 4,5 mil presentes. Ao menos o Coxa compensou dentro de campo, alcançando sua primeira vitória na competição. Em confronto movimentadíssimo, com direito a vários gols perdidos e a boas intervenções do goleiro Wilson, a vitória por 1 a 0 saiu com gol de Vinícius Kiss.

Série C

Confiança gabaritando

Enquanto quatro são os times com 100% de aproveitamento na Série B, a Série C começa bem mais acirrada. Apenas o Confiança conseguiu vencer os seus dois primeiros compromissos na competição. Resultado incontestável dos sergipanos, que bateram o Salgueiro por 3 a 0. Iago marcou no primeiro tempo, enquanto Léo Ceará e Thiago Silvy aumentaram a contagem na etapa complementar.

Massacre do Belo

O resultado mais notável da segunda rodada da Série C, porém, veio da Paraíba. O Botafogo enfiou 4 a 0 sobre o Náutico, pressionando desde o início. O atacante Marcos Aurélio, rodadíssimo, terminou como destaque ao anotar dois gols. Já a menção honrosa fica com Mário Sergio. O substituto acabara de sair do banco de reservas e, no primeiro toque na bola, já emendou uma bicicleta para dentro. Segundo o jovem de 22 anos, a acrobacia é uma especialidade sua – e uma insistência que vira motivo de brincadeiras durante os treinamentos do Belo.

Carlinhos Paraíba, herói do Santa

Carlinhos Paraíba chegou ao Santa Cruz através da torcida coral. Por meio de um projeto chamado “Camisa 12”, os tricolores doaram dinheiro para a contratação de um reforço de peso. E a estreia do meio-campista saiu melhor do que a encomenda. Vestindo a camisa 12, o veterano foi titular e, de pênalti, marcou o gol que desempatou o duelo contra o Atlético Acreano, encaminhando o triunfo por 3 a 1. Saiu de campo bastante aplaudido no Arruda. Já outra figurinha carimbada a marcar foi o atacante Robert, autor do terceiro tento.

Série D

As novas aventuras de velhos conhecidos

A Série D possui um número impressionante de técnicos que escreveram seus nomes no futebol durante os anos 1990 e 2000. Novatos na empreitada, apesar do histórico de peso no esporte. O mais famoso é o ex-centroavante Washington, o Coração de Leão. O artilheiro assumiu o Itabaiana às vésperas da Série D e já estreou com vitória. No Manaus, o dono da prancheta é Igor Cearense, ex-meia do Flamengo, que trabalhou anteriormente como assistente do mítico Aderbal Lana. Ídolo do Paysandu, Lecheva está à frente do Nacional, também do Amazonas. Paulinho Kobayashi ganhou emprego no Altos após a demissão do “senhor” Waldemar Lemos no início do ano. Já o Ferroviário confiou em Maurílio, após a mudança no comando com a queda na Copa do Brasil.

Cenas lamentáveis em Itabaiana

A estreia de Washington no Itabaiana, aliás, merece destaque especial. Sua equipe venceu o Santa Rita por 4 a 2, em jogo bastante movimentado em Alagoas. Os sergipanos criaram mais chances e desperdiçaram até pênalti, com direito a um golaço de Salatiel para fechar a contagem. O camisa 17 fez fila na defesa adversária, antes de chutar no cantinho do goleiro adversário. Além disso, houve uma confusão entre os dois times. Em meio ao bate-boca, cada equipe acabou com um expulso.

Rodada dos Maradona’s

“Maradona” é uma alcunha a se honrar. E neste final de semana, dois jogadores que levam o apelido fizeram a diferença na Série D. O rodado Ewerton Maradona brilhou pelo Uberlândia, dando a assistência para que Thiago Amaral anotasse o gol da vitória contra o Atlético do Espírito Santo. Já no empate por 2 a 2 entre Americano e Novorizontino, Cláudio Maradona anotou um dos gols do clube de Campos no Moacyrzão.

Forças ocultas em Santarém?

Uma cena curiosa aconteceu no Colosso do Tapajós, antes do jogo entre São Raimundo e Real Ariquemes. Os visitantes encontraram velas em um canto de seu vestiário. “Alguém pode explicar que macumba é essa em nosso vestiário? Aqui em Santarém? Deus é mais…”, escreveu o clube rondoniense em sua página no Facebook, em postagem apagada posteriormente. E, independentemente do responsável pelas velas, os paraenses não se deram bem em casa, com o empate por 1 a 1. A situação, obviamente, foi motivo de zoeira nas redes sociais. O rival São Francisco tirou sua casquinha. Segundo o São Raimundo, o clube não tem acesso ao vestiário visitante e os artigos religiosos provavelmente foram deixados por outra equipe dias antes.

Fininho, o guerreiro do Nacional

O Nacional do Amazonas estreou bem na Série D. Em Manaus, bateu o São Raimundo de Roraima por 3 a 0. E o capitão Fininho merece todo o respeito de sua torcida. No primeiro tempo, o camisa 10 já tinha participado das jogadas dos dois primeiros gols. Já na etapa complementar, após um choque, quebrou o nariz e decidiu continuar em campo. Pois foi dele o terceiro tento, em cobrança de pênalti. Com o nariz completamente torto, precisou passar por uma cirurgia nesta semana.

Chuva e amor em Piripiri

Difícil encontrar um gramado em piores condições na rodada do que o do Estádio Ytacoatiara, em Piripiri, no Piauí. O campo, que não apresentava seu melhor estado desde o início, acabou judiado por um enorme temporal. Resultado: lamaçal e várias poças de água durante o segundo tempo. Melhor para o 4 de Julho, que aproveitou a etapa inicial para anotar seu gol na vitória por 1 a 0 sobre o Interporto. Ted Love marcou, cobrando pênalti.

Lambança em Goiás

Arbitragem sempre é assunto no Campeonato Brasileiro, não importa a divisão. E o árbitro Eleno Gonzalez teve uma tarde para esquecer em Goiás, enquanto apitava Itumbiara e Macaé. Durante o primeiro tempo, resolveu expulsar um repórter de rádio à beira do campo, ao ouvi-lo questionar suas decisões. O Itumbiara vencia até os 48 do segundo tempo, quando Pipico apareceu na área para emendar um cruzamento e decretar o empate por 2 a 2. O homem do apito, no entanto, anulou o tento, alegando uma falta do atacante do Macaé. E depois de ser muito pressionado, resolveu voltar atrás, consultando o assistente. Na saída de campo, o técnico Estevam Soares, atualmente no comando dos goianos, não poupou críticas à atuação do gaúcho.

Garrafas pet por ingressos

O Mirassol promoveu uma oferta inusitada para tentar encher seu estádio nesta estreia pela Série D. Os torcedores puderam trocar duas garrafas pet por um ingresso. Cinco mil entradas foram destinadas à campanha “Futebol Sustentável”, embora o público mal tenha passado dos 1,4 mil. Os paulistas venceram o Nova Iguaçu por 1 a 0, gol de Danilo Boza durante o primeiro tempo.

Qual o limite do buraco do Mogi Mirim?

A crise financeira e administrativa do Mogi Mirim parece não ter limites. O legado do ex-presidente Wilson de Barros não foi mantido no Sapão. E a passagem de Rivaldo pelo comando do clube causou feridas, especialmente depois que o ex-craque deixou os alvirrubros, entre dívidas e imbróglios quanto ao patrimônio da agremiação. Diante de seu cenário degradante, o Mogi foi rebaixado na Série A-3 do Campeonato Paulista, relegado à quarta e última divisão para 2019. Já na Série D, o início também esteve longe de ser promissor. O Prudentópolis venceu por 2 a 0 e os paulistas, com problemas na regularização de jogadores, tiveram apenas três atletas no banco.

Não foi um bom jeito de retornar ao Brasileirão

O Macapá iniciou a Série D sob expectativas. Afinal, esta é a primeira vez em 26 anos que o clube do Amapá disputa uma divisão do Campeonato Brasileiro. Mas o início não é nada bom, em meio à evidente desorganização. Dois dias antes da estreia, o técnico Fran recebeu o bilhete azul e Vitor Jaime assumiu. O time não jogou bem contra o Rio Branco do Acre, perdendo a estreia em casa por 3 a 0. E o novo comandante já diz que “haverá lista de dispensas” visando reforços para a sequência da competição.

Pelo Brasil

A Briosa volta, em meio aos acessos em SP e MG

O final de semana contou também com definição nas divisões de acesso dos estaduais. Festas em São Paulo e Minas Gerais, principalmente da tradicional Portuguesa Santista. A Briosa empatou por 1 a 1 com o Barretos e decretou seu retorno à Série A-2 do Campeonato Paulista, na qual não figurava desde 2009. Após seis anos na quarta divisão estadual, o clube conquista sua segunda promoção em três anos. Será acompanhado pelo Atibaia, que superou o Capivariano do outro lado da chave. Já no Mineiro, glórias alvirrubras. O Tupynambás bateu o América de Teófilo Otoni e promoverá na elite o Tu-Tu, o clássico de Juiz de Fora, contra o Tupi. Já o Guarani de Divinópolis segurou o Uberaba para festejar seu retorno após dois anos.

A coluna Lado B de Brasil é publicada semanalmente pela Trivela, às segundas ou às terças – a depender do calendário. Segue em frente até a Copa do Mundo.


Os comentários estão desativados.