Durante a noite deste sábado, certamente alguns rojões estouraram em Nápoles, comemorando o heroico empate da Spal contra a Juventus. De qualquer forma, para se aproximar no topo da tabela, o Napoli precisava fazer sua parte no domingo. Jogava diante de sua torcida, no Estádio San Paolo, encarando o Genoa. Que o adversário não fosse o mais qualificado, a pressão por uma resposta imediata, após os tropeços recentes, caía sobre os ombros dos celestes. E com uma dose de sofrimento, o resultado saiu. Raúl Albiol assumiu o papel de salvador no triunfo por 1 a 0, que faz os partenopei dependerem novamente apenas de si para conquistar o Scudetto.

O Napoli não fazia sua partida mais dominante. Deixava espaços nos contra-ataques e via o Genoa assustar, também nas bolas paradas. Além disso, os celestes ainda perderam o ídolo Marek Hamsik, lesionado com apenas 20 minutos. Ainda assim, o grito ficou preso na garganta. Dries Mertens falhou uma vez e, quando rolou para Allan, viu o companheiro isolar o chute na marca do pênalti. Além disso, o baixinho Lorenzo Insigne chegou a acertar o travessão, em uma inesperada cabeçada. Filme dramático, que só se ampliou na volta do intervalo. Mertens bateu com capricho, mas a bola bateu na parte interna da trave e saiu.

Do outro lado, o Genoa voltava a incomodar. Assim, o Napoli precisava encontrar uma solução além das usuais para buscar os três pontos. O que aconteceu aos 27 minutos. José Callejón cobrou escanteio pela esquerda, Albiol se antecipou à marcação e desviou de cabeça para dentro, vencendo o goleiro Mattia Perin. O alívio exalou na atmosfera do San Paolo. Depois disso, os celestes não precisaram ter muita pressa. Mas pecaram quando tiveram a chance de matar o duelo, com Arkadiusz Milik e Insigne se complicando sozinhos na melhor delas. Pelo menos o segundo tento não fez falta, com o placar mínimo já suficiente para a celebração.

Vice-líder da Serie A, o Napoli chega aos 73 pontos, dois a menos que a Juventus, com os mesmos 29 jogos. Mas vale lembrar que os dois times ainda se enfrentam pelo segundo turno, em Turim. Qualquer um depende apenas de si para manter o sonho vivo. Bem mais abaixo, o Genoa é o 13°, seis pontos acima da zona de rebaixamento.