Ali Al-Habsi pode ser considerado o melhor jogador da história do futebol de Omã. O goleiro começou a carreira no país, mas construiu uma sólida trajetória na Europa, sobretudo na Inglaterra. Reserva do Bolton, por anos vestiu a camisa do Wigan na Premier League e até conquistou a Copa da Inglaterra com os Latics. Depois teve uma passagem notável pelo Reading, na Championship. Além disso, desde 2002 o veterano fecha o gol da seleção omani. Com 120 jogos pela equipe nacional, liderou os Vermelhos nas Eliminatórias da Copa de 2014 (quando ficaram a um ponto da repescagem) e nas classificações a quatro edições da Copa da Ásia. Todavia, duas semanas antes de participar pela quarta vez do torneio continental, o arqueiro se lesionou. Cortado, vê de fora a boa campanha da nação. Mas dá sua força de outra maneira nos Emirados Árabes Unidos.

Embora não componha o elenco de Omã, Al-Habsi decidiu permanecer na sede da Copa da Ásia e acompanhar a sua seleção. O goleiro de 37 anos dá sua força do lado de fora. Nesta quinta-feira, Omã derrotou o Turcomenistão por 3 a 1 e, de maneira dramática, conquistou a inédita classificação para os mata-matas do torneio continental. Pois o camisa 1 estava lá, no meio da torcida que batucava nas arquibancadas, puxando os cânticos e fazendo a festa pela façanha concretizada pelos companheiros. Só aumenta a sua imagem como ídolo de uma nação.