Três nomes foram ligados ao Chelsea na última semana: Andy Carroll, Peter Crouch e Edin Dzeko. A mensagem que as movimentações que o clube passam no mercado é clara. Antonio Conte quer reforçar o seu setor ofensivo e quer fazer isso contratando o atacante mais alto que conseguir encontrar. Mas, enquanto a negociação não é concretizada, seu time desencantou, para o azar do Brighton, goleado por 4 a 0, neste sábado.

LEIA MAIS: Chelsea passa pelo Norwich no sofrimento – e no pior cenário possível para a temporada

A preocupação de Conte faz sentido. Álvaro Morata começou bem a sua carreira em Stamford Bridge, mas ultimamente se destaca mais pelos gols que perde. Não marca há seis partidas. Michy Batshuayi, o substituto direto, tem apenas dois tentos em toda a temporada. Antes de fazer 1 a 0 contra o Norwich, no replay da terceira rodada da Copa da Inglaterra, na última quarta-feira, os Blues haviam passado três partidas em branco.

O curioso é o tipo de atacante que Conte está buscando: o cara alto e forte para batalhar com os zagueiros, prender a bola no ataque e ganhar as jogadas aéreas. Provavelmente apenas uma alternativa para situações específicas porque, contra o Brighton, o Chelsea mostrou como consegue ser perigoso no ataque com a bola no chão. Principalmente no segundo gol, marcado por Willian.

Depois de Hazard abrir o placar, o brasileiro ampliou para 2 a 0 na sequência desta linda jogada coletiva, envolvendo o belga e Batshuayi, com toques de primeira e de calcanhar.

 

No segundo tempo, Hazard marcou o seu segundo na partida com uma bela e elegante jogada individual.

 

E Moses fechou o placar, recebendo um lançamento de Musonda. Bola alta, mas em um passe longo consciente e preciso. Não um chutão.

 

Enquanto o atacante alto não chega, o Chelsea vai se virando muito bem.


Os comentários estão desativados.