Dando sequência a seu próspero mercado de transferências de verão, o Chelsea anunciou nesta sexta-feira (28) a chegada de Thiago Silva, ex-PSG, em um contrato de um ano, com opção de extensão por mais uma temporada.

O brasileiro viu sua passagem de oito anos no Paris Saint-Germain chegar ao fim junto com a decisão da Champions League 2019/20, vencida pelo Bayern de Munique. O seu desempenho na reta final da temporada foi tão bom que fez surgir na crônica francesa vozes contrárias à sua saída, que já estava determinada publicamente desde junho, quando Leonardo revelou que o clube não renovaria seu contrato.

Nos bastidores, como informa a Sky Sports e cita também parte da imprensa francesa, Thomas Tuchel, técnico do Paris Saint-Germain, queria a permanência do veterano, mas não o diretor Leonardo, e isso teria sido motivo de discórdia entre os dois. Publicamente, Tuchel deu a entender que era, sim, seu desejo que o brasileiro ficasse em Paris.

“Falaremos com o clube, com ele, para esclarecer a situação para continuar. Mas ele sempre será meu jogador, independentemente do que aconteça, ele está em meu coração, foi incrível este percurso com ele”, comentou o alemão, após a decisão da Liga dos Campeões.

Contratações do Chelsea no atual mercado de transferências: Hakim Ziyech (Ajax), Timo Werner (RB Leipzig), Ben Chilwell (Leicester), Malang Sarr (Nice) e Thiago Silva (PSG).

Ao longo da fase eliminatória da Champions League, Thiago Silva mostrou ao mundo que ainda tem lenha para queimar. Liderou uma defesa sólida e difícil de bater, com atuações individuais de bom nível sobretudo contra Atalanta e RB Leipzig.

À beira de completar 36 anos e ainda em alto nível, o brasileiro chega agora ao Chelsea não para ser uma opção de banco, aproveitando-se de talvez seu último bom contrato, mas, sim, para tomar a posição de titular imediatamente e fortalecer o setor defensivo. Os Blues contam com zagueiros relativamente jovens, como Christensen e Zouma, de 24 e 25 anos, respectivamente, e Fikayo Tomori, de apenas 22 anos e grande potencial. Todos eles podem crescer aprendendo ao lado de Thiago Silva, especialmente o último.

Thiago Silva marcou época no Paris Saint-Germain (Getty Images)

O veterano, ele próprio, ganha no Chelsea uma boa oportunidade de se provar mais uma vez, ainda que seu alto nível durante mais de uma década já devesse bastar para sua avaliação. A bem da verdade, por mais que tenha mantido o sarrafo de atuações lá em cima ao longo dos oito anos no PSG, Thiago Silva gozou de maior status mundial ainda quando estava no Milan, quando já era considerado um dos melhores do mundo. A ida à França significou que, para ser coroado internacionalmente, precisaria vencer a Liga dos Campeões, e o mais próximo que o clube da capital francesa chegou foi à recente final.

Pela seleção brasileira, Thiago Silva virou um dos rostos de uma geração marcada por fracassos em Copas do Mundo, com suas cenas de emoção em campo passando a ideia equivocada de fraqueza do zagueiro.

Na mais famosa e competitiva liga do mundo, mesmo em idade avançada, o brasileiro tem a oportunidade de ratificar as honras que recebeu ao longo dos anos e deixar uma última boa impressão no futebol europeu. Uma que contribua para uma imagem mais fiel de quem foi como zagueiro: um dos mais técnicos e habilidosos de sua geração.