Para Francesco Totti, o panorama do Campeonato Italiano está claro. A Juventus segue como o time a ser batido, seguida por Napoli e Internazionale. Abaixo das três primeiras posições, a briga está aberta pela quarta vaga na Champions League e ele espera que a sua Roma consiga disputá-la. Para isso, porém, precisa de mais reforços antes do fim da janela de transferências, no começo da semana que vem.

Em junho, Totti afastou-se da Roma, da qual era diretor técnico, por não se sentir envolvido nas decisões pelos outros dirigentes. Atualmente, está sem trabalho, mas, em entrevista à Radio Radio, afirmou que já tomou uma decisão sobre o seu próximo projeto. No entanto, ainda manterá a natureza do cargo em segredo, mas garantiu que será no mundo do futebol. Por enquanto, é apenas um corneteiro torcedor da Roma.

“Esta é certamente uma temporada diferente para mim. Vendo a Roma jogar pela televisão no domingo me fez pensar. A decisão (de sair) foi minha e eu a mantenho, mas, como torcedor, eu espero que o clube possa fazer mais alguma coisa nos últimos dias da janela de transferências para garantir que a Roma possa pelo menos competir por um lugar na Champions League”, disse o ídolo.

A Roma contratou Spinazzola, da Juventus, e Pau López, do Betis. Também trocou Manolas por Amadou Diawara. “Espero que eu esteja errado, mas, quando você esteve no futebol por 30 anos, tem um bom olho. Acho que muitos torcedores como eu esperam ver uma grande Roma que possa voltar à Champions League e esperam que o clube esteja trabalhando nessa direção”, afirmou.

Uma novidade foi a chegada de Paulo Fonseca para o comando técnico. “Sugiro-lhe que seja ele próprio e que não se preocupe com o que acontece no exterior. Os torcedores estão lado dele, ele fez tudo que podia para vir à Roma. Pelo que sei, é uma ótima pessoa, um grande treinador, com as ideias corretas e princípios certos. Devemos ficar junto com ele”, encerrou.