Copa Africana de Nações

Mapa interativo: o local de nascimento dos jogadores convocados para a Copa Africana de 2022

A CAN começa no próximo domingo e fizemos um mapa compilando os dados dos 648 jogadores convocados

Poucas competições do futebol mundial são tão ricas quanto a Copa Africana de Nações. É a chance de ver a consagração de equipes históricas e grandes craques, claro. Mas a CAN nunca se resume ao que acontece apenas em campo. Também diz muito sobre cultura, política e história do continente. É um símbolo do próprio orgulho da África e que, tantas vezes, reflete os movimentos de suas populações.

Uma nova edição da CAN começará neste domingo, em Camarões, com 24 seleções em busca da taça. Para esquentar os motores, preparamos um mapa especial: o local de nascimento de todos os jogadores convocados para a competição. Vale dizer que nem todos os dados estão disponíveis em fontes oficiais e, assim, uma parte pequena dos atletas ocupa lugares no centro dos territórios dos países que representam. Ainda assim, são mais de 600 jogadores localizados em suas cidades natais. Dá para perceber bem movimentos populacionais e notar como a Copa Africana não fala só de África.

Nos próximos dias, produziremos outros mapas e especiais sobre a Copa Africana de Nações, inclusive destrinchando os dados da pesquisa que culminou no mapa. Por enquanto, você pode viajar pelo território da CAN 2022. As seleções estão divididas pelos grupos da competição e cada jogador é identificado conforme o escudo da federação que defende, com uma ficha técnica incluindo seus dados básicos – para aqueles sem o local de nascimento disponível, está mencionado apenas o nome do país. É possível conferir isso pelo painel à esquerda do mapa. Além disso, muitos escudos estão sobrepostos, especialmente nas cidades que fornecem mais atletas. É preciso aproximar o zoom. Boa viagem!

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo