Copa Africana de Nações

Egito precisou dos pênaltis para eliminar anfitrião Camarões e vai decidir a CAN com Senegal

Em jogo sem gols e muito arrastado, Egito passa por terceira prorrogação, vence nos pênaltis e vai decidir CAN em um duelo Salah x Mané

O Egito terá a chance de conquistar o seu oitavo título da Copa Africana de Nações no próximo domingo após vencer, nos pênaltis, Camarões por 3 a 1. Os dois times fizeram uma partida muito equilibrada, mas sem grandes emoções e sem grandes chances.  O empate por 0 a 0 se arrastou por 120 minutos antes da decisão por cobranças na marca da cal.

VEJA TAMBÉM: Com direito a três finais de CAN, Camarões e Egito adicionam mais um duelo titânico à história do confronto

Com a empolgação de jogar em casa, Camarões começou o jogo atacando bastante. Nos primeiros minutos de jogo. O time se impôs, dominou a posse de bola e tentava encurralar o adversário. O Egito mal conseguia chegar ao ataque.

Camarões chegou muito perto do gol aos 17 minutos. Escanteio cobrado da direita que Michael Ngadeu tocou de cabeça e a bola bateu na junção da trave com o travessão, ainda gerou um rebote, mas os camaroneses não conseguiram desviar para o gol.

Durante todo o primeiro tempo, quem ficou mais perto do gol foi Camarões, chegando mais ao ataque e raramente dando chances ao Egito, que não conseguia criar contra-ataques perigosos. Nem Mohamed Salah, o craque do time e do jogo, conseguia levar perigo.

No segundo tempo, porém, o jogo ficou bem equilibrado. Se no primeiro tempo Camarões conseguia se impor fisicamente, no segundo não mais. Os camaroneses não tinham mais o físico para pressionar e o Egito equilibrou as ações. Os egípcios tinham dificuldades em controlar o meio-campo, mas os Leões Indomáveis não chegavam mais no fundo para fazer cruzamentos, sua jogada mais perigosa.

Nos acréscimos, o técnico doo Egito, o português Carlos Queiroz, foi expulso por reclamação – injustificada, aliás. Foi uma constante no jogo, o treinador falou, reclamou, gesticulou, até que o árbitro se cansou. Ele se recusou a deixar o gramado por um momento, mas logo foi obrigado a deixar o gramado. Foi um dos assistentes que o conduziu ao túnel.

A prorrogação foi arrastada, com os dois times fisicamente muito cansados. O Egito vinha de duas prorrogações seguidas, nas oitavas e nas quartas de final. Sem gols, vieram os pênaltis.

Camarões abriu as cobranças com o seu capitão, Vincent Aboubakar, e marcou. Zizo marcou pelo Egito e igualou o placar. Camarões, então desperdiçou a cobrança: Harold Maoukoudi bateu mal e o goleiro Gabanski defendeu. Os egípcios passaram à frente com Mohamed Abdelmonem, que deslocou o goleiro André Onana. Camarões se complicou ainda mais com o erro de Siliki, que viu Gabaski defender mais um. Lashin marcou pelo Egito e obrigou Camarões a marcar, mas Clinton N’Jie chutou para fora. Com isso, o Egito venceu por 3 a 1 e se classificou à final para disputar o título com Senegal, no próximo domingo.

Senegal tentará seu primeiro título, enquanto Egito tenta vencer novamente a disputa. Salah, estrela do time, tenta o seu primeiro título. Seria o oitavo título dos egípcios na história da CAN. Para isso, porém, os Faraós precisarão superar o cansaço de três prorrogações seguidas.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo