Copa Africana de Nações

Camarões e Gana fazem jogo de nome, pouco futebol e nenhum gol

Dentre os jogos da fase de grupos da Copa Africana de Nações, Camarões e Gana, pela segunda rodada, era um dos duelos mais esperados desse começo de competição. Isso pelas conquistas (nove títulos entre si) e por contarem com nomes conhecidos e presentes em grandes ligas da Europa, como os camaroneses Onana, goleiro destaque do Ajax, e Bong e Zambo Anguissa, que jogaram a última Premier League, e os ganenses Partey, do Atlético de Madrid, e Kwadwo Asamoah, da Internazionale. A expectativa, no entanto, se transformou em frustração em um jogo de pouco futebol, arbitragem ruim e nenhum gol.

[foo_related_posts]

Necessidade do resultado

Gana estreou no torneio com um resultado ruim, apenas empatando em 2 a 2 com Benim, tendo sido prejudicada também pela expulsão de John Boye, que perdeu quase todo o segundo tempo. Era preciso dar uma resposta na segunda rodada, e, por isso, a seleção ganense foi a mais contundente no duelo, ainda que no primeiro tempo Camarões tenha sido melhor (o que não diz muito em um jogo tão fraco). Teve quase o dobro de finalizações (15 a 8) na partida, mas a mira estava muito ruim: apenas um chute a gol (contra dois dos camaroneses). O lance mais perigoso veio só na reta final, com o substituto Owusu Kwabena, que entrara instantes antes no lugar de André Ayew. O camisa 8 aproveitou uma bobeada colossal de Jean-Armel Kana-Biyik, que tocou errado a bola no campo de defesa, e partiu em velocidade para o ataque. Livrou-se da marcação e bateu forte no travessão. A jogada que mais empolgou em um jogo, de outra forma, bastante fraco.

Irmãos Ayew sumidos

Quem procurou, não encontrou. André e Jordan Ayew, que haviam deixado cada um o seu gol contra Benim, estiveram muito apagados no jogo, sobretudo no primeiro tempo, quando mal participaram da partida. Precisarão mostrar muito mais para ajudar a equipe a chegar à próxima fase.

Arbitragem piorou um jogo já ruim

A partida já não trouxe muito, mas o etíope Bamlak Weyesa fez sua parte para piorar as coisas. Não deixava o jogo rolar com mais fluidez, apitando faltinhas desnecessárias que apenas desaceleravam a partida. Perdeu tempo ainda em discussões longas com os jogadores, entrou no caminho de um chute, não deu cartão amarelo em uma falta tática de Zambo Anguissa em André Ayew, e um dos assistentes ainda viu impedimento inexistente em boa jogada de Bassogog e Choupo-Moting.

Brilho de Ofori

André Onana brilhou nesta temporada pelo Ajax, em campanha marcante na Champions League, e levou sua habilidade também para a Copa Africana de Nações, mas o goleiro que sai com maior destaque em um jogo de pouco trabalho para os arqueiros é Richard Ofori. O ganense negou a Camarões o gol em sua melhor oportunidade, perto do fim do primeiro tempo. Ekambi abriu pela direita e tocou para trás, dentro da área, e Christian Bassogog, com espaço e em boa posição, teve tudo para fazer o único gol do jogo. A batida foi boa, mas Ofori reagiu bem para impedir o tento dos camaroneses com uma defesaça.

Ficha técnica

Camarões 0 x 0 Gana

Local: Estádio Ismaília, em Ismaília (EGI)
Árbitro: Bamlak Tessema Weyesa (Etiópia)
Cartões amarelos: Kasim NuhuThemba Zwane (GAN)

Camarões: André Onana; Jean-Armel Kana-Biyik, Michael Ngadeu-Ngadjui, Gaëtan Bong (Eric Choupo-Moting); Collins Fai, Georges Mandjeck, André-Frank Zambo Anguissa (Pierre Kunde), Ambroise Oyongo; Christian Bassogog, Karl Toko Ekambi (Stéphane Bahoken), Clinton N’Jie. Técnico: Clarence Seedorf.

Gana: Richard Ofori; Andy Yiadom, Jonathan Mensah, Kasim Nuhu, Baba Abdul Rahman; Thomas Partey, Wakaso Mubarak; Christian Atsu (Samuel Owusu), André Ayew (Owusu Kwabena), Kwadwo Asamoah (Asamoah Gyan); Jordan Ayew. Técnico: James Kwesi Appiah.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo