Copa Africana de Nações

Cabo Verde ficou com um a mais desde o início e, apesar do placar apertado, derrotou a Etiópia

Uma expulsão entre os etíopes logo aos oito minutos facilitou a vida de Cabo Verde, que ainda assim suou para fazer 1 a 0

Cabo Verde registra resultados de expressão no futebol de seleções desde a última década e gosta de aprontar contra adversários de peso. Neste sentido, os Tubarões Azuis parecem capazes de conquistar a classificação para os mata-matas da Copa Africana de Nações. O primeiro passo seria dado neste domingo, com a vitória por 1 a 0 sobre a Etiópia, um oponente mais acessível. Uma expulsão dos etíopes logo cedo abriu o caminho, apesar das dificuldades dos lusófonos em converterem seu domínio em gols. A equipe cabo-verdiana também superou os desfalques causados pela Covid-19, que levaram o técnico Bubista a relacionar apenas 17 jogadores.

O lance decisivo aconteceu logo aos oito minutos, quando Yared Baye deu um carrinho por trás em Júlio Tavares na entrada da área, para matar uma chance de gol. O etíope tinha recebido o amarelo e os cabo-verdianos se preparavam para a cobrança da falta, quando um momento curioso aconteceu. O árbitro apitou para sinalizar a revisão da jogada no monitor e saiu correndo para a lateral do campo. Os jogadores de Cabo Verde acharam que era a autorização e mandaram o chute na gaveta. Até comemoraram, quando perceberam que nada valia. Pelo menos, a orientação do VAR rendeu o vermelho para o zagueiro adversário e deixou Cabo Verde com uma vantagem considerável. De fato, os Tubarões Azuis teriam amplo domínio e, com mais de 60% de posse de bola, rondaram a meta adversária. Porém, marcar o gol não parecia tão simples.

Cabo Verde errava muito no momento da conclusão. A bola até chegava na área, mas os atacantes não conseguiam bater em cheio. O goleiro Teklemariam Shanko também se mostrava atento na meta da Etiópia e fez boas defesas, até para evitar gol contra. Já do outro lado, o fogo amigo quase prejudicou os cabo-verdianos. Uma bola mal recuada exigiu uma defesa providencial do goleiro Vózinha aos 42. O gol dos Tubarões Azuis surgiu apenas aos 42, num cruzamento bastante alto. Garry Rodrigues aparou na linha de fundo e Júlio Tavares veio com tudo para concluir de cabeça, no fundo da meta.

O segundo tempo recomeçou com uma pressão grande de Cabo Verde, mas Shanko continuou fazendo boas intervenções para evitar uma situação pior para seu time. Enquanto isso, a Etiópia se limitou a lampejos. Tentou alguns chutes de longe, sem sucesso, enquanto os Tubarões Azuis conseguiam abafar a mínima reação dos Walia Ibex. Apesar do aperto no marcador, os três pontos eram cabo-verdianos.

Cabo Verde inicia o Grupo A dividindo a dianteira da tabela com Camarões, que venceu Burkina Faso por 2 a 1 na abertura da competição. Na próxima rodada, a Etiópia terá uma parada duríssima contra os anfitriões camaroneses. Já os Tubarões Azuis farão um duelo fundamental pela classificação diante dos burquinenses.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo