Copa Africana de Nações

Boletim da CAN 2022, Grupo D: Nigéria sustenta os 100% de aproveitamento e Egito avança em segundo

A Nigéria estava confirmada na liderança, mas ainda assim venceu Guiné-Bissau, enquanto o Egito cumpriu a missão contra Sudão

O Grupo D da Copa Africana de Nações tinha dois favoritos claros, com Nigéria e Egito. Ambos avançam para os mata-matas. As Super Águias vinham de uma mudança de técnico recente, mas ofereceram algumas das melhores atuações da fase de grupos. Confirmada na liderança, a equipe ainda assim manteve os 100% de aproveitamento com os 2 a 0 sobre Guiné-Bissau. Já o Egito, que ainda precisava do resultado para não sofrer uma zebra, cumpriu sua parte com o 1 a 0 sobre Sudão e avança na segunda colocação.

Sudão fica em terceiro, mas, com apenas um ponto, não tem mais chances de emplacar como um dos melhores repescados. O resultado, por tabela, garante as classificações de Cabo Verde e Malaui entre os melhores terceiros. Os cabo-verdianos enfrentarão Senegal nas oitavas e os malauianos estarão no caminho de Marrocos. Egito e Nigéria ainda aguardam a definição de seus oponentes.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Egito 1×0 Sudão

O Egito precisava da vitória e logo se impôs no campo de ataque. Mostafa Mohamed levava perigo dentro da área, enquanto Mohamed Salah errou o domínio num lance com o caminho aberto. Os egípcios precisaram de certa paciência e eram mais ameaçadores nas bolas paradas, até que o gol surgisse aos 35. O goleiro Mohamed Mustafa já tinha salvado a pátria depois de um escanteio, em cabeçada de Mostafa Mohamed que o sudanês espalmou. Logo na sequência, Abdallah El-Said cobrou novo escanteio e Mohamed Abdel-Moneim conferiu de cabeça, sozinho, para as redes. No fim da primeira etapa, ainda assim, os Faraós tentaram ampliar. Mostafa Mohamed cabeceou para fora e o goleiro Mohamed Mustafa fez ótima defesa em batida de El-Said.

O Sudão começou melhor o segundo tempo, até que o Egito tomasse o controle. Porém, os erros dos Faraós na construção atrapalhavam. Salah voltaria a aparecer aos 15, mas foi parado pelo goleiro, pouco antes que Amr El-Sulaya mandasse para fora uma boa chance após passe de Salah. Tal letargia dos egípcios se seguiu e, no final, o Sudão ainda tentou o empate. O goleiro Mohamed El-Shenawy deu sorte, no rebote de uma falta que soltou, com Mustafa Karshom acertando sua cabeça no rebote.

Nigéria 2×0 Guiné-Bissau

Guiné-Bissau precisava da vitória para seguir com chances, enquanto a Nigéria estava confirmada até na liderança, por levar vantagem no confronto direto com o Egito. O primeiro tempo começaria com o controle dos nigerianos e algumas boas chegadas. Semi Ajayi quase marcou de cabeça numa saída errada do goleiro aos 15 minutos, enquanto Umar Sadiq se enroscou com a bola quando invadia a área em ótimas condições. Os Djurtus responderam apenas na reta final da primeira etapa, com uma postura mais ofensiva, mas Jorginho mandou para fora a melhor oportunidade.

A Nigéria abriu caminho à vitória aos 11 minutos do segundo tempo, com o primeiro gol. Alex Iwobi acionou Kelechi Iheanacho na área e o atacante deu um lindo passe de trivela. Umar Sadiq apareceu livre no segundo pau e escorou na pequena área. A sequência do jogo seria aberta, com os dois times arriscando mais. Guiné-Bissau reclamaria de uma falta cobrada por Fali Candé que desviou no braço de William Troost-Ekong, mas sem nenhuma marcação do VAR. Já aos 30, as Super Águias ampliaram. Moses Simon fez uma jogadaça, enfileirando adversários, e mandou o foguete no travessão. O rebote caiu nos pés de Troost-Ekong, que bateu de primeira para dentro. A reta final guardaria novas tentativas de ambos os times, mas o placar permaneceu inalterado.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo