Copa Africana de Nações

A Argélia deu uma prova enorme de seu potencial na CAN, ao derrotar o favorito Senegal

A Copa Africana de Nações, mesmo inchada com 24 seleções, guarda alguns confrontos de peso nesta fase de grupos. Argélia e Senegal fizeram um dos maiores nesta quinta-feira, entre duas equipes que podem almejar o título. No papel, os Leões de Teranga têm um elenco melhor e vêm de uma campanha razoável na Copa do Mundo. Também contavam com o reforço de Sadio Mané, cumprindo suspensão na estreia. Credenciais que faziam o favoritismo pender ao seu lado, mas não se cumpriram no gramado em Alexandria. Os argelinos parecem ter aprendido com as decepções do passado e fazem um início de campanha seguro. Chegaram à segunda vitória, batendo os senegaleses por 1 a 0, cortesia do petardo de Youcef Belaïli no início do segundo tempo.

Senegal parecia disposto a confirmar suas condições durante os primeiros minutos. Sadio Mané chegou ao torneio como melhor jogador africano da temporada e participava bastante, com seu time tomando iniciativa. Porém, a atitude dos senegaleses não durou muito tempo e a equipe perdeu velocidade. Ainda mantinha a posse de bola, mas limitada a chutes de longe, o que permitiu à Argélia se sentir mais confortável em campo.

As Raposas do Deserto cresceram a partir dos 25 minutos, buscando o ataque e rondando a área adversária. Baghdad Bounedjah era o principal alvo dos lances ofensivos e poderia ter marcado aos 27, após passar pelo goleiro Édouard Cissé, mas Kalidou Koulibaly salvou na pequena área. Os argelinos apostavam principalmente em lançamentos longos, embora as chances não fossem tão claras. De qualquer forma, ainda era uma partida aquém das expectativas.

A vitória da Argélia se concretizou aos quatro minutos do segundo tempo. Após uma excelente enfiada de Riyad Mahrez, Sofiane Feghouli puxou o ataque pelo lado direito e, na linha de fundo, achou um inteligente passe na entrada da área. Belaïli estava completamente livre. Teve tempo de dominar e soltar um chute fortíssimo, sem qualquer chance de defesa a Édouard Cissé. Com a vantagem, os argelinos puderam atuar de maneira mais cautelosa, fechando os espaços diante da posse de bola de Senegal.

Mahrez representava o maior perigo da Argélia, puxando os contra-ataques, e por duas vezes seus chutes fizeram os oponentes prenderem a respiração, passando ao lado da meta. Ainda assim, Senegal é que precisava buscar o gol. Sadio Mané não tinha vida fácil. Após um começo de jogo mais ativo e uma sequência menos participativa, ele era acompanhado de perto pela forte marcação quando tentava algo. Chegou a sofrer um pênalti, negligenciado pela arbitragem. Sem muita inventividade, os Leões de Teranga tentavam o abafa a partir de chuveirinhos. Entre bolas espirradas e quase um gol contra, os senegaleses não conseguiram romper o paredão à sua frente. Na melhor oportunidade, Mbaye Diagne estava com a meta aberta após um rebote de Raïs M’Bolhi, mas escorou para fora. Apesar da insistência até os acréscimos, tiveram que aceitar a derrota.

A Argélia parece amadurecer, depois de fracas campanhas na Copa Africana e do fracasso nas últimas Eliminatórias. Há muita qualidade entre os meias, como Mahrez bem mostrou. Além disso, a defesa suportou o desafio, com menção a Aïssa Mandi. Se o resultado não influencia tanto na competição, ele aumenta a confiança dos argelinos e confirma seu potencial. Pior a Senegal, que jogou aquém do esperado. Com seis pontos, as Raposas do Deserto encaminham a classificação às oitavas. Os Leões de Teranga têm três. A rodada no Grupo C se complementa com o duelo entre Quênia e Tanzânia, os dois azarões.

Ficha técnica

Argélia 1×0 Senegal

Local: Estádio Internacional de Alexandria
Árbitro: Janny Sikazwe (ZAM)
Gols: Youcef Belaïli, aos 4’/2T
Cartões amarelos: Alfred N’Diaye, Keita Baldé (Senegal); Djameleddine Benlamri, Youcef Atal (Argélia)
Cartões vermelhos: nenhum

Argélia: Raïs M’Bolhi, Youcef Atal, Aïssa Mandy, Djameleddine Benlamri, Rami Bensebaini (Mohamed Fares); Adlene Guédioura; Riyad Mahrez, Sofiane Feghouli, Ismael Bennacer (Mehdi Abeid), Youcef Belaïli (Andy Delort); Baghdad Bounedjah. Técnico: Djamel Belmadi.

Senegal: Edouard Mendy, Moussa Wagué, Cheikhou Kouyaté, Kalidou Koulibaly, Youssouf Sabaly; Alfred N’Diaye (Henri Saivet); Keita Baldé (Sadia Thioub), Krépin Diatta (Mbaye Diagne), Badou N’Diaye, Sadio Mané; Mbaye Niang. Técnico: Aliou Cissé.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo