O Everton deu um passo importante no seu projeto de abandonar Goodison Park e construir um novo estádio. Nesta quinta-feira, chegou a um acordo financeiro para adquirir um terreno nas docas de Bramley Moore, por £ 22,5 milhões, e, com a ajuda da prefeitura, começará a captar os £ 300 milhões que precisa para levantar sua nova casa, que ficará próxima ao rio Mersey, no norte da cidade de Liverpool.

LEIA MAIS: Everton, o clube que se preocupa em fornecer educação a jovens com necessidades especiais

O clube inglês já teve algumas tentativas frustradas para se mudar do estádio com capacidade para aproximadamente 40 mil pessoas, que tem sido sua casa há 125 anos e é um dos mais velhos do mundo. Essa foi uma das prioridades do empresário iraniano Farhad Moshiri, que comprou 49,9% das ações do Everton, em fevereiro. Ano passado, o Liverpool inaugurou sua nova arquibancada Main Stand, elevando a capacidade de Anfield para 54 mil pessoas.

Moshiri, no entanto, não financiará o estádio com recursos próprios. O Everton irá ao mercado em busca de um empréstimo, que será garantido pela prefeitura. O prefeito Joe Anderson afirmou que o projeto não custará uma libra de dinheiro público. “Na verdade, é o contrário. Pelo acordo, nós receberemos uma quantia substancial de dinheiro, acima de £ 4,4 milhões por ano. É um grande negócio, não estamos gastando nada, e vamos ajudar a revitalizar o norte de Liverpool. Será um catalisador para essa região”, afirmou Anderson à BBC Merseyside.

O novo estádio ficará a aproximadamente 3,5 kms de Goodison Park e ainda não existe um cronograma para sua construção. O Everton, no entanto, está satisfeito com a compra do terreno e pronto para seguir em frente. “Estamos felizes por termos concordado os termos com a Peel (empresa que era dona do local), dando-nos controle da doca de Bramley Moore e nos dando o tempo que precisamos para completar o trabalho que temos pela frente para confirmar a viabilidade do projeto. Agora, podemos passar para a próxima fase com muito mais confiança”, afirmou o executivo-chefe do Everton, Robert Elstone, segundo o Liverpool Echo.

A mudança de casa é vista como uma peça chave para o futuro do Everton, um jeito de aumentar os públicos e as receitas do clube que ambiciosa reviver as glórias dos anos oitenta, quando brigou cabeça a cabeça no Campeonato Inglês e conquistou dois dos seus nove títulos. O clube já teve que abandonar projetos em 2003 e 2009, mas, desta vez, o novo estádio parece adiantado. Este é o local onde ele será construído:

terreno novo estádio


Os comentários estão desativados.