A classificação de Togo para a Copa de 2006 foi uma surpresa em todo o mundo, principalmente pelo fato da seleção togolesa ser desconhecida do público mundial. Muitos não sabem nem onde fica o Togo (dica: é um país bem magrinho, entre Gana e Benin, no oeste da África), muito menos dizer o nome de um jogador de lá. Quer dizer, todos menos os torcedores do Monaco, que podem se orgulhar de ter o maior herói da classificação togolesa: o atacante Emmanuel Adebayor.

Na incrível campanha que levou os Falcões ao mundial da Alemanha, Adebayor fez 11 gols, perto da metade do total de sua seleção, e ainda foi artilheiro das eliminatórias africanas, superando nomes como Drogba e Eto’o. Mesmo só aparecendo agora para o público internacional, ele já é bastante conhecido no futebol francês.

Descoberto aos 15 anos quando foi disputar um torneio de juvenis na Suécia, Adebayor foi contratado pelo Metz e estreou como profissional na temporada 2001/2. Foi uma das gratas surpresas do time no Campeonato Francês, apesar do time ter caído para a segunda divisão. Na temporada seguinte, foi o artilheiro do time com 13 gols e foi o principal jogador dos Grenats na volta para a primeira divisão francesa.

No principado e na seleção

€ 3,2 milhões foi o valor gasto pelo Monaco para ter os serviços de Adebayor para a temporada 2003/4, vencendo times como Southampton e Stuttgart na briga pelo jogador. Marcou oito gols em seu primeiro campeonato por uma equipe importante, e até participou de alguns dos jogos do vice-campeonato monegasco na Liga dos Campeões. Suas atuações o fizeram ser comparado com o nigeriano Kanu, devido a ser um jogador alto e veloz. Ele continuou a mostrar seu bom futebol em 2004/5, com nove gols em 34 jogos do Francês e com seus primeiros gols (dois) em competições européias, na LC.

Originariamente um meia ofensivo, Adebayor passou a jogar no ataque nas últimas temporadas. Ágil e habilidoso, é uma constante preocupação para as defesas adversárias. No entanto, sofre críticas por segurar demais a bola e por ainda ter deficiências nas finalizações – perde muitas chances de gol.

Enquanto isso, Adebayor se tornava o principal jogador da seleção de Togo nas eliminatórias para o Mundial da Alemanha, conduzindo com seus vários gols os Falcões para a vaga na Copa do Mundo. Titular absoluto da seleção togolesa, Adebayor será peça fundamental as futuras campanhas no Mundial e na Copa da África de Nações.

Resta saber, no entanto, se o resto da seleção é forte o bastante para ajudar Sheyi (como o jogador também é chamado) a ser um dos astros da Copa. Togo agradecerá muito se o seu herói mostrar em terras germânicas o mesmo empenho que teve nas partidas das eliminatórias africanas, e nas partidas do Monaco no Campeonato Francês.


Os comentários estão desativados.