A rivalidade no futebol, muitas vezes, é vista de forma belicosa. No entanto, ela também pode se transformar em fraternidade e solidariedade além das quatro linhas. Nesta sexta-feira, Remo e Paysandu deram um grande exemplo do que o Re-Pa significa acima dos clássicos. Internado após sentir-se mal, o remista Carlos Alberto necessita urgentemente de doação de sangue. Pois o Papão estendeu a mão e aproveitou a sua visibilidade para se juntar à campanha do Leão em busca de doadores ao hemocentro de Belém.

Após disputar a Série A-2 do Campeonato Paulista pela Portuguesa Santista, Carlos Alberto foi contratado pelo Remo para a Série C. Titular dos azulinos na terceirona, o meio-campista de 24 anos queixou-se de cansaço após o treinamento da quarta-feira. Apesar da suspeita inicial de uma lesão no púbis, os exames não indicaram o problema. Contudo, com uma alteração sanguínea e quadro de anemia, o jogador precisou ser internado nesta quinta. Novos exames tentam apontar qual o diagnóstico, enquanto ele necessita de transfusões de sangue.

Durante a manhã desta sexta, o Remo usou suas redes sociais para pedir doações de sangue a Carlos Alberto. Por iniciativa própria, o Paysandu divulgou a mensagem dos rivais, também convocando a sua torcida. “Vamos fazer o bem e ajudar ao próximo! Desejamos uma pronta recuperação ao jogador. Força!”, escreveu o Papão. Os remistas agradeceram: “Obrigado pelo apoio, Paysandu! Nunca será só futebol”. Ao que os alvicelestes retribuíram: “Contem conosco”. Atual técnico do Paysandu, Hélio dos Anjos manifestou seu apoio ao meio-campista do Leão. Já o antigo ídolo Yago Pikachu ajudou a divulgar a mensagem em busca de doadores.

E vale dizer que a dupla Re-Pa não foi a única que se prontificou. O exemplo também foi dado por Ceará e Fortaleza, que igualmente ecoaram o pedido de doações feito pelo Remo. Já na manhã desta sexta, dez torcedores remistas compareceram ao Hemopa dispostos a doar sangue em nome de Carlos Alberto. A mobilização, afinal, ainda pode ajudar outros pacientes que necessitem de sangue.

“A gente só pede que as pessoas ajudem doando sangue, porque, ontem, para nossa surpresa, quando Carlos Alberto precisou da doação, o estoque do Hemopa estava praticamente zerado. Então, assim como o atleta, muita gente está precisando. Vamos unir as forças para ajudar o jogador e outras pessoas”, afirmou Jean Kley, médico do Remo, ao Globo Esporte.

A Fundação Hemopa fica na Travessa Padre Eutíquio, 2109, em Batista Campos, Belém. O centro para doações permanece aberto de segunda a sexta, das 7h30 às 18h. Aos sábados, funciona das 7h30 às 14h. O Remo pede que a doação seja feita em nome de Carlos Alberto da Silva de Maria e do Hospital Porto Dias. De qualquer maneira, outras pessoas também podem ser auxiliadas através da solidariedade.

A dica do post foi dada pelo leitor Allan Almeida. Obrigado!