A Copa Argentina é um torneio bastante amplo. A atual edição conta com 99 participantes, de cinco diferentes níveis na pirâmide da liga nacional. E a primeira fase dos mata-mata anda repleta de surpresas. Ao longo das últimas semanas, não foram poucos os times da elite a caírem para desafiantes das divisões inferiores. Neste domingo, por exemplo, a façanha nos 32-avos de final foi protagonizada pelo pequenino Pacífico, de Mendoza. Os alvinegros, que militam na quarta divisão, eliminaram o Estudiantes de La Plata com uma notável vitória por 3 a 2. E olha que os participantes da Libertadores 2017 escalaram sua equipe titular.

Em jogo realizado no Estádio Florencio Solá, casa do Banfield, os visitantes começaram se impondo. Em apenas 20 minutos, Federico Amaya e Ivo Hong balançaram as redes de Mariano Andújar. Juan Otero descontou para o Estudiantes, mas Maximiliano Montiveros voltou a abrir margem ao Pacífico. No final, Lucas Rodrigues ainda tentou recolocar os pincharratas no jogo, sem sucesso. Os donos de quatro taças da Libertadores caíram diante de um adversário semi-profissional. Triunfo que resultou em uma comemoração enlouquecida dos nanicos, segundo time da quarta divisão a chegar aos 16-avos de final da copa.

A desonra do Estudiantes, porém, não foi inédita nesta temporada. Longe disso. O primeiro a aprontar foi o Deportivo Riestra, da terceirona, que eliminou o Tigre no início de maio. Um dia depois, o milagre ficou por conta do Gimnasia y Esgrima de Mendoza, outro da terceira, algoz do Quilmes. O Arsenal de Sarandí sucumbiu diante do Sacachispas, que recentemente conquistou o acesso na quarta divisão – cujo nome é inspirado em um filme dos anos 1940, estrelado por Guillermo Stábile, e que viu seus jogadores usarem máscaras de super-heróis antes da foto oficial. Na última semana, o Deportivo Morón, que subiu à segundona, eliminou com autoridade o Patronato por 2 a 0. Já a outra vítima recente da primeira divisão foi o Gimnasia y Esgrima “tradicional”, de La Plata, superado pelo Defensores de Belgrano. Chacota que os rivais do Estudiantes não puderam aproveitar por muito tempo.

Além disso, se forem somados os demais clubes das divisões inferiores que dificultaram a vida dos adversários da elite, a lista engrossa mais. Times como o Chaco for Ever, o Atlético Camioneros, o Leandro N. Alem e o Cañuelas ficaram a um gol de eliminar ou forçar a disputa por pênalti contra oponentes de peso – respectivamente, Banfield, Independiente, Vélez e Rosario Central. E não dá nem para dizer que os representantes da primeira divisão estão ignorando a Copa Argentina. Podem até não entrar com a seriedade necessária, mas quase sempre têm escalado suas equipes principais. O que só torna as surpresas ainda melhores. Cada vez mais, os outros gigantes que estrearão no torneio precisarão redobrar a atenção para encarar os pequenos.