A virada emocionante do Peñarol sobre o Furacão pouco valeu, com o Wilstermann ganhando em Santiago e bagunçando o grupo

O Athletico Paranaense tinha sua vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores já garantida, mas via o ambiente em chamas ao redor de seu grupo. O Furacão visitava o Peñarol, com a corda no pescoço, enquanto Colo-Colo e Jorge Wilstermann também seguiam com as esperanças vivas na partida paralela. E o desfecho da chave fez os rubro-negros serem coadjuvantes de luxo numa disputa maluca. Os uruguaios arrancaram uma vitória emocionante contra os athleticanos em Montevidéu, com duas viradas e o placar de 3 a 2. Ainda assim, o resultado se tornaria insuficiente aos aurinegros. O Jorge Wilstermann não apenas avançou, ao bater o Colo-Colo em Santiago por 1 a 0, como ainda tomou a primeira colocação do Athletico.

Dirigido interinamente por Paulo Autuori na noite, o Athletico tinha 12 desfalques para o jogo no Campeón del Siglo. Walter e Lucas Halter até deveriam ser titulares, mas acabaram sacados ao contraírem o coronavírus. E, diante dos problemas dos rubro-negros, o Peñarol não precisou de muito esforço para sair em vantagem. Logo aos três minutos, após uma cobrança de escanteio, a bola ficou viva na área até Fabricio Formiliano completar às redes – em uma troca de passes fácil diante da estática defesa paranaense.

O jogo ficaria mais travado no meio de campo na sequência. Por mais que o Athletico tentasse sair, errava muitos passes e oferecia pouco no ataque. O Peñarol também não tinha tanta qualidade e demorou a assustar novamente, mas era mais contundente em suas ações e voltou a levar perigo com duas boas chegadas por volta dos 20 minutos. O duelo esquentaria mesmo aos 36, quando o Furacão converteu logo sua primeira chance clara. Depois do cruzamento, Nikão dominou na área e tocou na saída do goleiro Kevin Dawson, para que Lucho González entrasse livre e apenas cutucasse às redes vazias.

Com o empate, a partida ficou bem mais intensa antes do intervalo. O Athletico já poderia ter virado com um chute para fora de Fabinho, mas o Peñarol também botou pressão do outro lado e Facundo Torres acertou o pé da trave, numa bola em que o goleiro Santos também pareceu tocar. De qualquer maneira, em meio ao tiroteio, o Furacão buscaria a vitória parcial aos 45, com Richard. A defesa afastou um cruzamento e o meio-campista pegou o rebote na intermediária. Ajeitou com espaço e soltou o canudo cruzado, tirando do alcance de Dawson.

No segundo tempo, o Athletico quase fez o terceiro em contra-ataque com Nikão, mas a necessidade de sair era do Peñarol. Depois de algum tempo para encaixar sua pressão, os aurinegros perderam uma chance clara com Jonathan Urretaviscaya na marca do pênalti, até que o gol de empate viesse aos 18. Em mais um escanteio, Formiliano desviou no primeiro pau e Gary Kagelmacher entrou no segundo para concluir. Mas a igualdade, naquele momento, ainda não era suficiente à classificação dos uruguaios.

O Peñarol era mais efetivo em suas ações e o Athletico tinha dificuldades para construir seus ataques, mesmo com as alterações. Assim, a virada não surpreendeu. Álvaro Martínez chegou a isolar um bom passe na área, até que a virada ocorresse aos 36. Em mais uma desatenção da marcação, Giovanni González se esforçou para cruzar na linha de fundo e o veterano Matías Britos apareceu completamente livre para concluir de cabeça. Agora, com o empate paralelo na outra partida, a segunda posição era dos carboneros.

A reta final do jogo seria tensa, mas não por aquilo que aconteceu em campo. O Peñarol tentava gastar o tempo e o técnico Mario Saralegui teve um ataque de nervos na lateral, que rendeu sua expulsão ao tentar criar confusão. Mas não que o Athletico tenha feito muito pelo novo empate. O problema dos aurinegros aconteceria no jogo concomitante, com o Jorge Wilstermann encarando o Colo-Colo no Monumental David Arellano. E a virada em Montevidéu se provou sem muito valor aos uruguaios em pouco tempo.

O Jorge Wilstermann venceu o Colo-Colo por 1 a 0 no apagar das luzes. O lance decisivo aconteceu aos 43 do segundo tempo, num chute de longe dado por Moisés Villarroel, que desviou na marcação e tirou totalmente o goleiro Brayan Cortés da jogada. Com o triunfo, os bolivianos chegaram aos 10 pontos e deixaram o Peñarol com um ponto a menos. Mais do que isso, ainda ultrapassaram o Athletico no saldo de gols e fecharam o Grupo C na primeira colocação.

O Peñarol, terceiro colocado, precisará se contentar com a vaga na Copa Sul-Americana. Já o Athletico Paranaense cumpriu seu objetivo num grupo cascudo, mas não da maneira como gostaria. O Furacão perdeu oportunidades e a impressão é de que poderia fechar com a liderança se tivesse um pouco mais de efetividade em alguns jogos. Considerando os desfalques e mesmo as dificuldades no Brasileirão, de qualquer forma, a missão está completa mesmo que a segunda colocação não seja o ideal.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore