Chances reais de classificação para a próxima fase da Eurocopa e um futebol convincente. Após a difícil vitória contra a Grécia e uma derrota quase acidental contra a Espanha, a Suécia define a segunda vaga do grupo contra a Rússia, na próxima quarta-feira.

A espera pela atuação da Landslaget era grande, principalmente após a derrota contra a Ucrânia no último amistoso antes da competição e pode-se dizer que as boas expectativas foram correspondidas. Contra a Grécia o time teve méritos por conseguir penetrar na sólida e marcar dois gols. O primeiro deles, resultado de uma bela jogada da parceria Ibra e Larsson, o outro, em uma bate rebate, onde a bola sobrou para o zagueiro Peter Hansson.

Já contra a Espanha, o time mostrou poder de reação ao sair em desvantagem no placar. A Fúria, o adversário mais forte do grupo, começou bem no jogo, mas depois recuou e deixou espaços e mais uma vezes a vantagem saiu dos pés de um diferenciado Ibrahimovic. Lesionado já na primeira partida, a saída de Wilhelmsson não foi sentida pelo time e o técnico Lars Lagerbäck aproveitou a chance para lançar o zagueiro Fredrik Stoor. A vitória espanhola, teoricamente um resultado previsível, saiu nos acréscimos após uma falha da zaga, setor que, como previsto, ainda mostra deficiência.

Mas boas apresentações não deixaram de o assunto principal fosse a respeito das condições físicas Ibrahimovich e de como ele chegaria ao torneio ou se enfim assumiria a responsabilidade de conduzir o time em uma competição importante. Apesar de deixar claro sua impossibilidade de atuar noventa minutos, o atacante pôs fim ao jejum de gols na seleção e foi decisivo.

Já o técnico Lars Lagerbäck manteve a postura que havia assumido antes da Euro,quando afirmara que pouparia o jogador sempre que possível, decisão necessária, difícil e passível de críticas. Contra a Espanha, Zlatan saiu de campo com dores e deve enfrentar a Rússia realmente no sacrifício.

Entre o que de melhor foi apresentado pela equipe está a participação de Henrik Larsson, não que o jogador de 36 anos ainda poderia ser considerado uma surpresa, mas provavelmente a forma como o atacante ainda se mostra importante surpreende, principalmente pela inteligência de seus passes.

Contra a Rússia, a Landslaget garante a vaga com uma vitória. Para a partida, o bom técnico Guus Hiddink terá em mãos um ótimo reforço, a volta do meia Andrei Arshavin que retorna de suspensão. A Suécia vai para o tudo ou nada pela classificação e depende só de si e claro, de mais um momento de inspiração de Zlatan.

Uma possível cirurgia

Quase toda temporada italiana com dores e agora a Eurocopa. Os médicos suecos Håkan Alfredson e Magnus Forssblad e Franco Combi da Internazionale de Milão não assumem, mas já discutem o futuro do atacante Ibrahimovich.

Os médicos suecos assumem que sim, é um risco para o atacante jogar contra a Rússia e deixam claro que a possibilidade de que o Ibra terá que passar por uma cirurgia no joelho logo após sua participação na competição.

Contra a Espanha, o atacante foi substituído ao sentir dores em uma outra região do joelho, na partida contra a Rússia, Zlatan deve entrar em campo, mas com o uso de injeções de Cortisona.

Talvez, para ficar 100% reabilitado, Zlatan Ibrahimovich deve ter que permanecer de 9 a 12 meses sem jogar futebol, comenta Håkan, médico especialista em joelho e responsável pelo tratamento pré Eurocopa do jogador.

Três vexames na Copa da Noruega

Se o campeonato norueguês está em férias, a Copa da Noruega já revelou das suas. As “surpresas” deste ano ficaram a cargo de Rosenborg, Lillestrøm e HamKam, eliminados já na segunda fase do torneio por times da terceira divisão do país.

Eliminado nos pênaltis pelo Kristiansund Ballklubb, equipe que disputa a terceira divisão do país, após tomar o gol de empate já nos acréscimos, o nove vezes campeão da Copa Rosenborg foi, sem dúvidas a maior decepção da competição. Trabalho dobrado para o recém chegado Erik Hamrén, que terá que livrar o tradicional papa títulos do futebol norueguês de uma campanha irregular, como a do ano passado, na Tippeligaen.

Já afundado em crise, o Lillestrøm, que faz uma campanha decepcionante na Liga foi outro que caiu diante de um adversário bem mais fraco, o Eidsvold Turn, que também disputa a terceira divisão, derrota que agravou a situação de um dos clubes mais populares do país, que ainda não definiu seu treinador para a sequência do campeonato norueguês.

O Hamkam também seguiu o exemplo negativo de seus companheiros e se despediu cedo demais da competição. Com uma derrota para o minúsculo Valdres.