Entre as muitas torcidas espalhadas pelo Brasil, a do Vasco merece um reconhecimento especial, mesmo de seus rivais. É diferente a vibração que se vive nos jogos em São Januário. E, nesta semana, os cruzmaltinos protagonizaram uma das mais bonitas mobilizações por um clube vistas no país durante os últimos tempos. Para ajudar a sustentar as finanças de seu departamento de futebol, a diretoria vascaína lançou uma promoção de metade do preço no programa de sócio-torcedor e tinha a meta inicial de atingir 50 mil novos cadastrados. Conseguiu mais que o dobro, superando os 110 mil até a madrugada de sexta para sábado. Sinal claríssimo da força e da paixão ao redor da Colina.

Historicamente, o Vasco sempre contou com a participação de sua torcida para dar passos maiores. Foi assim na construção de São Januário, o maior estádio do Brasil em seus primórdios, que contou com a participação direta dos vascaínos na doação para as obras. A mobilização reforçava o caráter popular de um clube que desde aquela época se abria a diferentes camadas sociais e rompia barreiras de preconceito. Dez meses após o lançamento da pedra fundamental, já acontecia a inauguração. O estádio, no fundo, também é um patrimônio da paixão cruzmaltina.

Atualmente, diante das dificuldades do Vasco com suas finanças, o mesmo acontece com o projeto de um novo centro de treinamentos. A arrecadação para as modernas instalações cruzmaltinas corre paralelamente à promoção no sócio-torcedor. De maneira igual, os vascaínos mostraram sua força. Conforme o anúncio feito pelo clube nesta quarta-feira, foram angariados R$3 milhões apenas em doações para a segunda fase das obras. O clube já tinha arrecadado antes R$2 milhões para a primeira fase. A iniciativa seguirá em frente durante os próximos meses.

Já a campanha do sócio-torcedor chamou atenção não apenas pelo número de novos membros que o Vasco conseguiu. Obviamente, superar os 110 mil, quando a ideia era chegar aos 50 mil, significa demais. Tão bacana quanto é a maneira como os próprios vascaínos se engajaram no assunto ao longo dos últimos dias. Foi um tema constante na Colina, que contou com a participação de ídolos e foi anunciado de diversas formas. Seria cumprido com grandiosidade.

Com a nova onda de adesões, o Vasco se tornou o terceiro clube brasileiro com o maior número de associados. Aparece atrás apenas de Flamengo (140 mil) e Internacional (126 mil). A diretoria garantiu que a promoção continuará até o final da campanha no Brasileirão e a intenção é colocar os cruzmaltinos no topo do ranking. Já na última rodada do campeonato, a ideia é levar o duelo contra a Chapecoense para o Maracanã e transformar a ocasião em uma celebração por tudo o que se viveu nos últimos dias.

Os números dilatados reforçam o tamanho da torcida do Vasco e também seu caráter nacional. É um clube enorme, por mais que ultimamente não consiga justificar tanto o peso de sua camisa dentro de campo. E que tem como melhor caminho a se reerguer justamente o engajamento dessa massa que o empurra. Que faz ser o que é.

É lógico, juntar 110 mil novos sócios em uma semana não resolve todos os problemas, até porque fidelizar tanta gente é um desafio maior. De qualquer maneira, esta mobilização significa mais uma vontade de querer fazer o Vasco um gigante do que necessariamente o interesse pelos benefícios por ingressos ou produtos. Parte dessa onda é momentânea – e não quer dizer que seja negativo, longe disso. O clube se fortalece e fortalece sua imagem em busca de novas alternativas financeiras.

A promessa da diretoria do Vasco é aproveitar essa nova injeção de dinheiro para investir no elenco. E a primeira notícia quanto ao assunto foi comemorada pelos cruzmaltinos: a renovação do talentoso Talles Magno, um garoto que reitera seu compromisso e deve ser desfrutado um pouco mais na Colina, diferente da pressa que aconteceu para vender Paulinho.

A paixão por um clube se sustenta a partir de um sentimento independente dos resultados. Ainda assim, é sempre bom ver quando o time dentro de campo corresponde a este apoio. É isso que a multidão vascaína espera, por mais que não exija nada em troca. A linda história do Vasco ganha mais um capítulo memorável.