Invicto há dez jogos, brigando por uma vaga direta na Champions pela Bundesliga e com um dos desempenhos mais interessantes da Europa, o Eintracht Frankfurt desembarcou em Milão com uma tarefa que, aparentemente, não seria das mais fáceis. Em meio ao desgaste gerado pelo afastamento de Icardi, a Internazionale tinha o apoio do seu torcedor e precisava apenas de uma vitória simples. Mas as águias encurralaram os nerazurri e abriram o placar precocemente com Jovic, e mantiveram o placar de 1 a 0 até o fim, conquistando uma vitória irrepreensível, honrando os 15 mil torcedores alemães que viajaram até a Itália.

Apostando na formação com três zagueiros e povoando o meio de campo, o time alemão buscou o ataque desde o princípio. A dupla de atacantes formada pelo francês Haller e pelo sérvio Jovic, autores de 28 gols na temporada, incomodou demais a defesa italiana. Haller parou na trave logo aos três minutos, e ainda na pressão inicial, o Frankfurt abriu o marcador. Aos seis minutos, depois de um chutão da defesa do time alemão, De Vrij tentou recuar para o goleiro com o peito, mesmo estando a mais de 30 metros de distância de Handanovic. Jovic ganhou na velocidade e no corpo do zagueiro holandês que ficou caído no chão contemplando o golaço do sérvio, que apenas tocou por cobertura.

O gol não colocou o Frankfurt em postura de comodismo. O time comandado por Adi Hutter continuou jogando com velocidade e levando perigo também pelo alto. A Inter parecia não esperar tamanho ímpeto e não tinha um plano B. Quando atacava, era facilmente contido. A disposição dos meias da equipe alemã para a defesa deixava a atuação do Frankfurt ainda mais consistente.

Luciano Spaletti demorou para mexer, e talvez isso também tenha influenciado para o resultado negativo da Inter, que não conseguiu em momento algum chegar próximo de um empate, que ainda assim não seria suficiente, por conta da regra do gol qualificado. Foram treze finalizações durante toda a partida e apenas quatro em direção do gol. E aí apareceu mais um mérito dos alemães. O Frankfurt é uma equipe jovem, com média de idade de 26 anos – considerada até alta em comparação com outros times alemães – mas manteve o controle do que se passava no San Siro.

O Frankfurt construiu uma vitória mínima no placar, mas gigantesca para uma equipe que venceu todos os jogos na primeira fase e segue invicta em busca de um título que não vem desde 1980. Não há favoritismo, claro, até pelos outros emblemas que estão na concorrência, mas é preciso ficar de olho no voo da águia.