A temporada do futebol português não foi a mais vistosa em termos de futebol, mas termina de maneira histórica ao Porto. O time de Sérgio Conceição celebrou neste sábado a dobradinha nacional, ao conquistar a Taça de Portugal. O Benfica carregava um amplo histórico favorável na decisão do torneio contra os rivais, com oito vitórias em nove finais da Prova Rainha diante dos portistas. Mas, desta vez, os Dragões arrancaram o triunfo que não viviam desde 1958 contra os benfiquistas no encerramento da Taça: garantiram o placar de 2 a 1 em Coimbra. Foi a oitava vez em sua história que o Porto leva liga e copa na mesma temporada, a primeira desde 2010/11. E enfatiza como Jorge Jesus terá um trabalho árduo de reconstrução na Luz.

O Porto criou a melhor chance de gol do primeiro tempo, exigindo grande defesa de Odisseas Vlachodimos, mas a situação parecia desfavorável quando Luis Díaz recebeu o segundo amarelo antes do intervalo. Mesmo com um a menos, a equipe definiu a vitória com dois gols antes dos 15 minutos do segundo tempo. Chancel Mbemba foi o herói, primeiro ao aproveitar uma saída errada de Vlachodimos, pouco antes de completar mais uma bola parada e desviar de cabeça o cruzamento do brasileiro Otávio. O Benfica só descontou aos 39, com Carlos Vinícius cobrando pênalti, e o empate acabou preso na garganta quando Jota acertou a trave nos acréscimos.

Foi o 17° título do Porto na Taça de Portugal, se igualando ao Sporting, mas ainda atrás dos 26 troféus do Benfica. E o resultado serve para garantir ainda mais reconhecimento ao bom trabalho que Sérgio Conceição realiza no Estádio do Dragão. O treinador conseguiu tirar o máximo do elenco nesta reta final de temporada, mesmo com limitações claras e certa rotação. Recuperou-se no Campeonato Português, contando também com as derrapadas dos encarnados para ficar com o título. E, no confronto direto da copa, provou-se mais forte mesmo com a situação teoricamente adversa. A eficiência preponderou.

O momento também foi especial a Iker Casillas. O goleiro ainda não voltou a ser relacionado pelo clube, em recuperação de um ataque cardíaco sofrido no fim da temporada passada. Mesmo assim, segue aproveitando o ambiente portista e desfrutando daqueles que são os seus últimos momentos no clube – e podem ser os últimos também na carreira. O veterano foi convidado pelos companheiros para erguer o troféu durante a entrega da premiação, realizando o gesto ao lado do capitão Danilo Pereira.

Já o Benfica precisará virar a página rapidamente, pensando em Jorge Jesus. O treinador terá um trabalho amplo para realizar no Estádio da Luz, numa equipe com claras dificuldades nesta reta decisiva. Também promete-se uma atuação intensa no mercado de transferências. Luca Waldschmidt, Ezequiel Garay e Helton Leite estariam próximos do clube, segundo o site Público, enquanto Everton Cebolinha e Malang Sarr são outros jogadores em negociação. Ainda há conversas com Edinson Cavani para comandar o ataque encarnado. Seria uma equipe não apenas para retomar o domínio em Portugal, como também para fazer bom papel nas campanhas continentais.

Já no Porto, a próxima novidade deve ser a renovação de Sérgio Conceição. Os méritos do treinador são óbvios, pela maneira como geriu problemas no elenco durante esta temporada e também montou uma equipe consistente. De qualquer maneira, se o Benfica fizer tudo o que prometer no mercado, os portistas também terão que correr atrás do prejuízo. Embora os clubes portugueses necessitem de cautela diante da situação econômica, tal competitividade pode contribuir para que os times locais melhores o nível apresentado nos últimos tempos e voltem a fazer bons papéis além das fronteiras.