Aos 25 anos, Joshua Kimmich completa sua quinta temporada pelo Bayern de Munique. E é difícil apontar outro jogador no elenco que evoluiu tanto ao longo deste período. Que tornou-se realidade aos bávaros e ganhou o rótulo de protagonista, mesmo trazido como um potencial coadjuvante. A posição não costuma ser problema ao camisa 32, que se adapta muito bem em diferentes sistemas de jogo e em diferentes funções. Um coringa que quase sempre prevalece entre os melhores do time, e que também faz a diferença nesta Bundesliga. Nesta terça, Kimmich determinou a vitória por 1 a 0 sobre o Borussia Dortmund, dentro do Signal Iduna Park. Anotou o seu gol mais importante pelo Bayern e, falha de Roman Bürki à parte, com uma categoria que ressalta o tamanho de seu talento.

Kimmich foi um achado do Bayern de Munique, com uma ajudinha de outros clubes. O garoto surgia nas categorias de base do Stuttgart quando o RB Leipzig o contratou. Disputou apenas duas temporadas na Red Bull Arena, contribuindo ao acesso à segundona, para que outros times crescessem os olhos. O Stuttgart acionou a cláusula de recompra e levou o prata da casa de volta por €1,5 milhão. Ao mesmo tempo, o Bayern já tinha €8,5 milhões na mesa para fazer o lucro dos suábios se multiplicar e levar o prodígio de 20 anos a Munique. O valor, apesar disso, hoje soa como pechincha aos bávaros.

Fisicamente, Kimmich nem é dos jogadores mais imponentes. Mas compensa, e muito, por sua qualidade nos fundamentos. Também sabe se posicionar e ler o jogo de diferentes lugares dentro de campo. Foi assim como zagueiro, posição em que mais atuou nos tempos de Pep Guardiola, ou como um meia de aproximação, como começou após a chegada de Carlo Ancelotti. O momento de maior brilho sob as ordens do italiano aconteceu na lateral direita, não se cansando de entregar cruzamentos perfeitos a Robert Lewandowski. Ficaria assim até a temporada passada, quando passou a volante na atual campanha.

Embora Kimmich ainda seguisse se salvando na bagunça sob as ordens de Niko Kovac, a efetivação de Hansi Flick também o beneficiou. Nota-se um meio-campista mais ativo na distribuição e no jogo direto aplicado pelo Bayern, com brechas para criar boas chances aos companheiros no ataque. A atual ascensão dos bávaros na temporada conta com algumas boas atuações do camisa 32, sobretudo na especialidade em dar assistências. Já contra o Dortmund, veio o brilhante gol, para aproximar os bávaros do octacampeonato dentro do Signal Iduna Park.

Não que os gols sejam raros a Kimmich. O meio-campista anotou 29 tentos nestas cinco temporadas pelo clube, um bom número a quem costuma jogar mais recuado. Chegou a balançar as redes (duas vezes) contra o Real Madrid na semifinal da Champions em 2018. Entretanto, naquela oportunidade, o Bayern sucumbiu. Desta vez, seu golaço no Klassiker tende a ser muito mais lembrado, especialmente se nenhuma hecatombe ocorrer com os bávaros nas seis rodadas finais da Bundesliga.

Kimmich fez um ótimo jogo nesta terça-feira. Enquanto o Bayern teve a posse de bola, especialmente no primeiro tempo, o volante organizou sua equipe. Foram 88 passes, 30 a mais que Leon Goretzka, seu companheiro no setor. O alemão também contribuiu bastante no combate durante o segundo tempo, quando precisou manter o nível máximo de alerta para evitar os perigos dos aurinegros. Colecionou desarmes, bloqueios e outras ações defensivas. Ainda assim, o destaque fica por conta de seu lindo gol.

Numa troca de passes na entrada da área, Kimmich foi muito inteligente ao perceber a posição adiantada de Bürki, mas não só isso, já que seu talento se fez vital para que a jogadaça acabasse concluída às redes. O meio-campista aproveitou mais ainda a situação com sua precisão, ao colocar a força necessária na bola para encobrir o goleiro. E também teve sua dose de sorte, sem que o suíço fosse com a mão firme o suficiente para a defesa. Kimmich foi o craque que os bávaros precisavam para voltar a Munique com três pontos essenciais. Foi herói, quando se poderia apostar muito mais em um Lewandowski ou um Thomas Müller da vida.

Segundo a avaliação realizada pela revista Kicker, esta é a melhor temporada de Kimmich na Bundesliga. O volante é o quarto melhor jogador do Bayern – atrás de Lewandowski, Müller e Neuer. De qualquer maneira, aparecer em uma posição tão elevada já indica a sua preponderância, algo notado há um bom tempo não só pelos números. Aos 25 anos, o alemão dá a impressão de que pode aprimorar sua capacidade, já que a velocidade ou a força não são necessariamente seus fortes. E com 210 aparições pelo clube, é um cara para marcar época na Allianz Arena. Brilhar num clássico decisivo o coloca mais na memória.