Na calada da noite desta sexta-feira, a Conmebol realizou um anúncio importantíssimo à sequência da Libertadores. A partir de agora, todos os jogos terão divulgadas as conversas entre os árbitros sobre as decisões tomadas com consulta ao monitor do VAR. Estarão disponíveis os áudios e também as imagens visualizadas pela equipe de arbitragem. Nesta sexta, a Conmebol apresentou as revisões que ocorreram em Flamengo x Internacional e River Plate x Cerro Porteño, negando um pênalti aos colorados e anotando uma penalidade favorável aos millonarios. Segundo a entidade, a novidade se aplica a todas as partidas da Conmebol.

“A decisão foi tomada com o objetivo de oferecer uma transparência ainda maior sobre o processo de revisão de jogadas que o árbitro solicitou no campo”, declara a nota oficial da Conmebol. “Desta maneira, os torcedores e a opinião pública poderão conhecer em primeira pessoa como se realiza a revisão da jogada, assim como a conversa mantida entre o árbitro presente em campo e o centro de vídeo-arbitragem”.

Atual presidente da Comissão de Árbitros da Conmebol, o brasileiro Wilson Luiz Seneme também se posicionou: “O VAR é uma ferramenta que chegou para ficar no futebol internacional e, por isso, necessitamos de um processo de adaptação dos árbitros e também de jogadores, torcedores e jornalistas, para que seja realizado com a máxima transparência. Neste sentido, a possibilidade de acessar o registro audiovisual permitirá conhecer como se leva a cabo a revisão de uma jogada duvidosa desde o momento em que se detecta o lance até o instante em que se toma a decisão arbitral”.

A novidade ainda não soluciona todas as questões. A Conmebol não indicou se exibirá imagens e áudio de decisões que são discutidas entre os árbitros, mas que acabam não revisadas no monitor à beira do campo – talvez o maior problema quanto a lisura do processo. Pelos dois exemplos iniciais oferecidos nesta semana, não fará isso. É necessário ampliar a medida. De qualquer maneira, mesmo que limitada, a iniciativa não deixa de representar um avanço. Se há uma busca por justiça, nada mais natural que abrir o jogo e exibir a todos.