O futebol de Volta Redonda ficou estigmatizado nos últimos tempos. Virou praxe ver as arquibancadas do Raulino de Oliveira vazias, enquanto algum dos grandes do Rio de Janeiro emprestava o estádio do interior. A cidade de 263 mil habitantes não consegue criar um público cativo a quem vem da capital. Mas mostra que há, sim, paixão pelo clube da casa. Neste final de semana, cerca de oito mil pessoas estiveram presentes para a decisão da Série D. E mais marcante que a quantidade foi a empolgação dos torcedores com a conquista do Voltaço, goleando o CSA por 4 a 0.

O Volta Redonda fez grandiosa campanha na quarta divisão do Campeonato Brasileiro. Os aurinegros já vinham de um bom primeiro semestre, ao conquistarem a Taça Rio, que desta vez serviu como uma espécie de torneio de consolação para quem não avançasse às semifinais do Carioca – ou seja, a todos além dos quatro grandes. E o embalo se manteve na Série D, com o Voltaço sem perder uma partida sequer. Após confirmar o acesso diante do Fluminense de Feira e derrotar o Moto Club na semifinal, o melhor ficou para a decisão contra o CSA.

Depois de segurar o 0 a 0 no Trapichão, o Voltaço deu show diante de sua torcida. Marcos Júnior (duas vezes), Dija Baiano e David marcaram os gols, enquanto o camisa 10 Marcelo brilhou pelas assistências. Dija Baiano, aliás, merece os elogios pelas excelentes atuações nos mata-matas da Série D, terminando a competição como o jogador mais decisivo. Já no banco de reservas, o técnico Felipe Surian se consagra pela segunda vez na Série D, após ter conquistado o acesso em 2013 com o Tupi.

E, com o time fazendo sua parte em campo, os torcedores embelezaram a noite no Vale do Paraíba. Durante a chegada do ônibus ao estádio, algumas dezenas de aurinegros acenderam sinalizadores para recepcionar os jogadores. Êxtase que acabou com invasão de campo após o apito final. Agora, é esperar que tamanho engajamento continue também na Série C.