A notícia que o Bayern menos queria ouvir: Lewandowski se lesiona e só deve voltar no fim de março

O Bayern de Munique recebeu uma das piores notícias possíveis nesta quarta-feira: Robert Lewandowski se lesionou e deve permanecer fora da equipe pelas próximas quatro semanas. A ausência do artilheiro é um problema grave aos bávaros, não apenas pelo momento que ele atravessa, mas também pela própria falta de um substituto mais tarimbado. Em compensação, olhando para o “copo meio cheio”, o desfalque acontece em um momento relativamente contornável à equipe de Hansi Flick.

[foo_related_posts]

Segundo a revista Kicker, Lewandowski se lesionou durante a partida contra o Chelsea. O centroavante ficou em campo durante os 90 minutos e foi um dos destaques na vitória do Bayern por 3 a 0, ao oferecer duas assistências e ainda fechar o placar. No entanto, exames posteriores mostraram que o polonês sofreu uma fissura na tíbia de sua perna esquerda, em região próxima à articulação do joelho. A avaliação médica aconteceu na volta da delegação a Munique.

Médico do Bayern, Hans-Wilhelm Müller-Wohlfahrt apontou que Lewandowski passará os próximos dez dias com a perna imobilizada, antes de iniciar a sequência do trabalho de recuperação. A estimativa é de quatro semanas fora do time. Dentro dessa perspectiva, o centroavante se ausentará de seis partidas dos bávaros: quatro rodadas da Bundesliga, bem como as quartas de final da Copa da Alemanha e a volta contra o Chelsea na Allianz Arena.

A tabela do Bayern na Bundesliga não é das mais simples, mas pelo menos não guarda confrontos diretos. Todos os adversários ocupam o meio da tabela. A equipe visitará Hoffenheim e Union Berlim, além de receber Augsburg e Eintracht Frankfurt. Durante o primeiro turno, porém, os bávaros conquistaram apenas quatro pontos contra esses oponentes. Perdeu para o Hoffe, empatou com o Augsburg e tomou a goleada na viagem a Frankfurt, que derrubou o técnico Niko Kovac. Pela Copa da Alemanha, o Bayern visita o Schalke, enquanto o embate contra o Chelsea ao menos parece encaminhado.

Depois da partida em Stamford Bridge, David Alaba deu coro aos amplos elogios que Lewandowski anda recebendo, colocando-o na prateleira de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo: “Ele é um jogador de primeira linha. Todos nós sabemos que ele pode anotar gols e mostrou hoje outro lado de si, dando assistências. Nós todos sabemos que ele é muito importante para o time e somos muito gratos de tê-lo ao nosso lado. Ele mostra isso a cada semana. É um dos melhores atacantes do mundo, talvez o melhor. Marca gols em quase todos os jogos e, logicamente, acho que ele merece estar no topo e ser incluído ao lado de Messi e Ronaldo”.

Lewandowski deve encerrar a sua recuperação no final de março, durante a Data Fifa. Assim, terá uns dias a mais para atingir a melhor forma, já que pode muito bem se ausentar dos amistosos contra Finlândia e Ucrânia pela seleção polonesa. O foco deve mesmo se concentrar no primeiro compromisso do Bayern em abril, quando o time encara o Borussia Dortmund dentro do Signal Iduna Park, em duelo essencial à Bundesliga.

Sem Lewandowski, restam poucas opções no elenco do Bayern de Munique para assumir o comando de ataque. O reserva imediato é Joshua Zirkzee, de 18 anos. O garoto fez boas aparições na temporada, mas substituir Lewandowski parece um fardo pesado demais. Outra alternativa é Fiete Arp, de 20 anos, trazido do Hamburgo. Porém, o jovem passou os últimos seis meses lesionado e apenas em fevereiro retornou ao Bayern II, na terceira divisão.

Hansi Flick também pode recorrer ao improviso. O mais apto é Thomas Müller, mas parece um desperdício abrir mão da boa fase do alemão na armação. Vale lembrar que Kingsley Coman também se lesionou contra o Chelsea, em notícia que nem surpreende mais. O ponta, ao menos, deve voltar em uma semana. Enquanto isso, Ivan Perisic permanece no departamento médico e só deve voltar no meio de março. Ante a escassez, não seria surpreendente se o treinador buscasse alternativas táticas dentro deste cenário. Nas duas únicas partidas em que Lewa não foi titular em 2019/20, Serge Gnabry e Perisic foram deslocados ao centro do ataque.

Para Lewandowski, a ausência ainda pode custar a seus números históricos. Com 11 gols pela Champions League, o centroavante lidera a artilharia e está a seis tentos de alcançar a maior marca em uma edição do torneio continental. Já na Bundesliga, são 25 tentos em 23 rodadas, a 15 do recorde de Gerd Müller. Seu média atual é a mesma do velho ídolo a esta altura da liga, quando estabeleceu a marca em 1971/72. De qualquer forma, neste momento, parece muito mais importante a Lewa se recuperar e voltar em seu melhor para os dois últimos meses da temporada, em que o Bayern se projeta como candidato aos principais títulos.