A Noruega dependia da vitória para confirmar a classificação aos mata-matas da Copa do Mundo Feminina. Ainda assim, as escandinavas fizeram uma partida morna contra a Coreia do Sul nesta segunda-feira. Diante da adversária mais fraca do Grupo A, dois gols de pênalti encaminharam o resultado às norueguesas. Do outro lado, porém, as sul-coreanas terminaram o torneio de cabeça erguida. Tiveram a sua melhor atuação no Mundial, pressionando e anotando o primeiro gol na competição. Os 2 a 1 no placar não mudaram o destino das asiáticas, mas surpreendeu a postura que tiveram em Reims.

Gol precoce da Noruega

Não demorou para que o jogo se abrisse à Noruega. Logo aos três minutos, após uma bola alçada na área, foi anotada uma penalidade para as escandinavas. Caroline Graham Hansen cobrou com enorme tranquilidade e deixou sua equipe em vantagem. Confirmava o favoritismo de sua equipe, mas não foi um primeiro tempo fácil. A Coreia do Sul, afinal, saiu bastante para o jogo e criou mais oportunidades antes do intervalo.

Pressão da Coreia do Sul

Após duas derrotas nas duas primeiras partidas, a Coreia do Sul apresentou uma atitude bem mais agressiva contra a Noruega. Apostava na velocidade de seu ataque e nas jogadas pelos lados do campo, resultando em frequentes cruzamentos. Apesar da pressão, a defesa norueguesa conseguia se segurar. A goleira Ingrid Hjelmseth era exigida, mas as finalizações das asiáticas não eram boas, faltando mais de força e direção.

Caminho aberto para a Noruega

As esperanças da Coreia do Sul, porém, receberam outro duro golpe no início do segundo tempo. A equipe cometeu mais um pênalti e permitiu o segundo gol das escandinavas. A cobrança agora ficou com a atacante Isabell Herlovsen e ela não bateu tão bem. O problema é que a goleira Kim Min-jeong, mesmo acertando o canto e tocando na bola, não conseguiu evitar o tento. Neste momento, as asiáticas precisavam se empenhar para ao menos se despedir da Copa com um gol marcado.

A Coreia sente o baque, mas se recupera

A Noruega seguiu melhor na sequência do segundo tempo, criando chances para o terceiro gol. Mas, com o placar assegurado, a equipe resolveu tirar o pé do acelerador, tirando suas principais jogadoras, e permitiu que a Coreia do Sul voltasse a atuar no campo de ataque. O empenho rendeu o merecido gol aos 31 minutos. Em bola que pipocou na área, Lee Geum-min deu um espetacular passe de calcanhar e Yeo Min-ji foi oportunista, se esticando para balançar as redes. Ainda surgiu uma brecha ao empate, em cabeçada que seguiu para fora.

Como fica a chave

A Noruega avança na segunda colocação. Não exibiu muita coisa, mas fez seis pontos e segue firme aos mata-matas. Já a Coreia do Sul termina na lanterna do Grupo A. Sem pontos, tomou oito gols e anotou somente um. Ao menos um golaço.

Noruega 2×1 Coreia do Sul

Local: Stade Auguste Delaune, em Reims
Árbitra: Marie-Soleil Beaudoin (Canadá)
Gols: Graham Hansen, aos 4’/1T; Herlovsen, aos 5’/2T (Noruega); Yeo, aos 33’/2T (Coreia do Sul).
Cartões amarelos: Cho, Yeo (Coreia do Sul)

Noruega: Ingrid Hjelmseth, Ingrid Moe Wold, Maren Mjelde, Maria Thorisdottir, Kristine Minde; Caroline Graham Hansen (Frida Maanum), Vilde Boe Risa, Ingrid Syrstad Engen, Guro Reiten; Lisa-Marie Utland (Karina Saevik), Isabell Herlovsen (Elise Thorsnes). Técnico: Martin Sjogren.

Coreia do Sul: Kim Min-jeong, Lee Eun-mi (Jeong Yeon-ga), Kim Do-yeon, Shin Dam-yeong, Jang Gi-sel; Kang Chae-rin (Lee Mi-na), Ji So-yun, Cho So-hyun; Lee Geum-min, Yeo Min-ji, Moon Mi-ra (Kang Yu-mi). Técnico: Yoon Deok-yeo.