Ter “grife”, mais do que o futebol em si, costuma ser um fator essencial para alçar um jogador como candidato à Bola de Ouro. Por aquilo que faz em campo neste início de 2020, Josip Ilicic certamente é o maior concorrente ao prêmio entre aqueles craques desprovidos de tal grife. O esloveno vem jogando o fino com a Atalanta não é de hoje, aliando um estilo vistoso e letal. Pois nestes primeiros meses de 2020, o camisa 72 anda efetivo como nenhum outro futebolista no planeta: são 14 gols em 11 partidas no ano. Nesta terça, Ilicic viveu uma noite para chamar de sua na Champions League, ao anotar quatro tentos na vitória por 4 a 3 sobre o Valencia.

O clima do jogo parecia propício ao festival de gols que se viu no Mestalla. A Atalanta já tinha goleado no primeiro encontro por 4 a 1 e o Valencia, com sua defesa reserva, precisava atacar. Além do mais, as arquibancadas vazias por conta do surto de coronavírus também contribuíam a um ambiente mais próximo ao de um amistoso. Ilicic, que não tinha nada a ver com isso, aproveitou a partida para acumular seus gols.

Durante o primeiro tempo, os dois pênaltis cometidos por Mouctar Diakhaby (um deles sobre o próprio esloveno) facilitaram a missão de Ilicic. O atacante balançou as redes duas vezes a partir da marca da cal. Já durante o segundo tempo, mesmo sem apresentar sua máxima intensidade e pedindo para ser substituído, o camisa 72 explorou as aberturas da defesa valenciana para anotar mais dois gols. Em seu terceiro, pegou a sobra da jogada de Duván Zapata e cortou a marcação, antes de mandar no cantinho. Por fim, o show particular do artilheiro esteve completo com um chute característico, mandando a bola no ângulo com muita categoria. Seis finalizações bastaram para que o veterano fizesse estrago completo.

E mais impressionante foi a quantidade de marcas que Ilicic derrubou apenas nesta terça-feira. Foi a quinta vez nos mata-matas da Champions League que um jogador marcou quatro ou mais gols em uma mesma partida, o primeiro deles fora de casa. Também se tornou o jogador mais velho a marcar ao menos três gols em um jogo de Champions. Foi o apenas sexto na história do torneio a assinalar um hat-trick fora de casa por mata-matas. E, depois de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, somando também seu golaço na ida, Ilicic se tornou o terceiro jogador a fazer pelo menos cinco tentos nos 180 minutos de um confronto eliminatório na competição. Não é pouco.

Aos 32 anos recém-completados, Ilicic acumula ótimos números. Mais do que isso, o veterano também atinge o ápice de sua forma dentro de campo. O refinamento técnico sempre foi uma marca do esloveno, sobretudo por seus dribles em espaços curtos e por seus cortes secos nos marcadores. Une a isso uma capacidade enorme na definição, que o ajudou em outros momentos de sua carreira. E o encaixe em uma equipe ultra-ofensiva como a Atalanta potencializa os predicados do atacante. Além de ser alguém apto a preparar jogadas aos companheiros, principalmente Papu Gómez e Zapata, o camisa 72 assume a responsabilidade. O que se viu na Espanha reforçou o que é comum nos jogos da Dea durante os meses recentes.

Ilicic chega aos 21 gols em 29 partidas na temporada, com mais nove assistências registradas. Sua produtividade ofensiva supera um tento gerado por jogo. Já neste início de 2020, a forma do esloveno é fenomenal. São 14 gols em 11 aparições, número impulsionado pela vitória sobre o Valencia. Nenhum outro jogador no planeta balançou as redes tantas vezes neste dois meses e meio do ano civil. Cristiano Ronaldo, que marcou 13 tentos até agora, terminou superado por Ilicic após sua atuação retumbante no Mestalla.

A Atalanta é o terceiro time de Ilicic no futebol italiano. Já carregou o Palermo durante o início de sua carreira no país e também viveu momentos de protagonismo na Fiorentina. Contudo, em Bérgamo, o atacante consegue não apenas extrapolar os seus números. O atacante lidera campanhas históricas da Dea e também exibe uma qualidade que nem mesmo as ótimas médias podem mensurar totalmente. A grife se nota durante os 90 minutos, a cada partida dos Orobici. E, neste sentido, contam-se nos dedos (de uma só mão) os jogadores ao redor da Europa que atravessam uma fase tão exuberante quanto a de Ilicic.

Mesmo que Ilicic continue arrebentando na sequência do ano e que a Atalanta conclua suas façanhas na temporada, isso pode não ser suficiente para que o esloveno conste entre os indicados à Bola de Ouro. Aos 32 anos e com uma carreira longe dos clubes mais tradicionais, o atacante não tem um grande lobby a seu favor. Todavia, basta olhar o que acontece em campo para saber a enormidade do futebol que o esloveno vem jogando. Quem acompanha o trabalho da Atalanta sabe bem. E que bom que o desempenho fantástico dos italianos na Champions permita a mais gente apreciar. O camisa 72 merece tal reconhecimento.