Já é tradição. As participações do Borussia Dortmund nos mata-matas das competições continentais são exaltadas por belíssimos mosaicos da Muralha Amarela. E aconteceu mais uma vez nesta quarta-feira, antes do reencontro com o Benfica pelas oitavas de final da Liga dos Campeões, no Signal Iduna Park. Em meio ao mosaico aurinegro, os germânicos homenagearam um dos episódios gloriosos de seu passado, quando eliminaram o esquadrão encarnado na própria Champions, há 54 anos.

A classificação histórica do Dortmund aconteceu nas oitavas de final da Copa dos Campeões de 1963/64. Bicampeão do torneio em 1961 e 1962, o Benfica era estrelado por craques como Mario Coluna e Eusébio. E os portugueses provaram seu favoritismo no Estádio da Luz, com a vitória por 2 a 1 diante de sua torcida. O que poucos esperavam era o massacre no reencontro na Alemanha. Os aurinegros anotaram 5 a 0, com três tentos de Franz Brungs. Em campo, estavam outras lendas do clube, como Hans Tilkowski, Wilhelm Burgsmüller, Alfred Schmidt e Lothar Emmerich.

Além de uma flâmula enorme do Borussia Dortmund, o mosaico também trouxe recortes de jornal relembrando a goleada espetacular. “Amanhã os jornais escreverão de novo: Borussia elimina o Benfica”, dizia a faixa.