Zinedine Zidane sofreu um de seus mais sentidos revezes à frente do Real Madrid durante a Copa do Rei 2017/18. Pelas quartas de final, os merengues não conseguiram competir contra a vontade do Leganés e os nanicos avançaram na competição. A conquista do tricampeonato da Champions logo faria aquele tropeço ser esquecido, mas o retorno do treinador ao Estádio Municipal de Butarque não seria digesto. Nesta segunda-feira, fechando a rodada do Campeonato Espanhol, o Real só empatou com os pepineros. Placar de 1 a 1, que enfatiza como a volta do comandante à casamata não colocará as coisas no lugar como num passe de mágica. Zizou venceu três de seus primeiros cinco jogos neste recomeço com os madridistas e demonstra que há arestas enormes para se aparar.

Apesar do ritmo de jogo intenso em Butarque, as oportunidades de gol foram raras durante o primeiro tempo. E o Leganés avisou que poderia aprontar logo cedo, quando Martin Braithwaite recebeu sozinho dentro da área, mas cabeceou para fora. O Real Madrid dominava a posse de bola, ainda que apresentasse dificuldades para romper a linha defensiva dos anfitriões, mais acesos no duelo. Já aos 45 minutos, a possibilidade de zebra pintou no gramado, quando os pepineros abriram o placar. Após um pivô de Braithwaite, a sobra ficou limpa para Jonathan Silva na entrada da área. De frente para o gol, o lateral arrematou de primeira e tirou do alcance de Keylor Navas. Sinal de alerta aos merengues.

O Real Madrid não demorou a reagir. Logo aos seis minutos do segundo tempo, os visitantes já garantiam a igualdade. Luka Modric deu o passe para Karim Benzema, que disparou e finalizou para defesa de Pichu Cuéllar. A bola ainda sobrou com o centroavante, que não perdoaria o rebote. Outra vez, o francês surgia como salvador e era o mais ligado entre os merengues. Contudo, a virada não aconteceu. O domínio permanecia com os madridistas, mas se via pouca objetividade na conclusão das jogadas e a equipe de Zidane também errava bastante. Durante os minutos finais, o treinador tentou dar novo fôlego ao seu sistema ofensivo, com as entradas de Gareth Bale e Lucas Vázquez. Nada que tenha ajudado.

A emoção só aumentou durante os minutos finais, graças também a um Leganés que insistia em cometer o crime. O time da casa teve suas ocasiões para retomar a dianteira no placar, incluindo um gol bem anulado pela arbitragem. Do outro lado, quando Benzema serviu Marcelo de calcanhar, Cuéllar fez grande defesa e evitou a virada do Real Madrid. Seria necessário aceitar o novo tropeço, que acaba se tornando uma nota de rodapé dentro da temporada decepcionante vivida pelo clube. Já não há muito mais a perder nesta altura do campeonato.

O Real Madrid permanece isolado na terceira colocação de La Liga. Fica a quatro pontos do Atlético de Madrid e deixa o Sevilla a nove pontos de distância. O objetivo, no máximo, será angariar as premiações relativas ao vice-campeonato – pouco a quem vem do tricampeonato continental. Já o Leganés permanece distante da zona de rebaixamento. São dez pontos acima do Z-3, em vantagem estabelecida também por sua guinada recente. No pelotão intermediário, ocupando o 11° lugar, o time pode até tentar encurtar as distâncias rumo à Liga Europa. Parece já um ótimo cenário, à equipe que sofreu substanciais mudanças nesta temporada.