A comemoração de gol mais legal do final de semana aconteceu na Itália. No sábado, a Fiorentina derrotou a Spal por 3 a 0 no Artemio Franchi e Federico Chiesa anotou o último gol. Em meio à euforia, saiu de campo não para abraçar um companheiro, mas sim o gandula na lateral. Tudo com um belíssimo motivo: o garoto era Lorenzo Chiesa, seu irmão mais novo, que também atua nas categorias de base da Viola. A cena era vista por Enrico e Francesca Chiesa, os pais da dupla. Enrico, não custa lembrar, também foi ídolo dos florentinos – em carreira condecorada que ainda rendeu bons momentos por Parma, Sampdoria e Siena, além da seleção.

Francesca, sobretudo, comentou o que passou por sua cabeça nas tribunas: “Eu fiquei comovida, foi um momento emocionante para mim. Ver os dois lá embaixo, vestindo a camisa da Viola, com Federico abraçando seu irmão com esse ar de proteção, foi realmente sentimental. Eu me lembrei dos momentos em que Enrico abraçava Federico, quando ele era gandula. Por um momento, duas fases da vida se cruzaram. É especial com seus filhos. Ver Enrico era maravilhoso, mas quando seus meninos estão em campo, é uma sensação completamente diferente”.

Aos 20 anos, Federico já é uma realidade. Depois de duas ótimas temporadas com a Fiorentina, segue como um dos melhores do time nesta Serie A e vem sendo reconhecido com as convocações à seleção italiana. Pelo bom início na carreira e pela carência dos azzurri, não surpreenderá se tiver uma trajetória na equipe nacional mais consistente que a do próprio Enrico – presente na Euro 1996 e na Copa de 1998. Agora é ver como Lorenzo fará jus à genética. Incentivos não faltam.