Há uma aura que costuma envolver o camisa 10 argentino. Praticamente uma entidade mística do futebol sul-americano, e sempre presente nos mais diferentes países que disputam a Libertadores. Nesta terça, no entanto, os adjetivos se cumpriram em Diego Morales. O meia de 29 anos teve um papel decisivo justamente contra os compatriotas do San Lorenzo: chamou a responsabilidade e anotou dois belíssimos gols no Estádio Casa Blanca, garantindo a vitória da LDU Quito por 2 a 0. Resultado importante para a tabela do Grupo 6, que ainda conta com Toluca e Grêmio.

Cria da base do Chacarita Juniors, Morales viveu o melhor momento de sua carreira no Tigre. Depois disso, jogou no Al Ahli saudita, antes de uma fugaz passagem pelo Náutico, somando 17 partidas na campanha da queda no Brasileirão de 2013. Já no ano seguinte, acabou vendido à LDU, se transformando em uma das referências da equipe. E teve nesta terça uma de suas atuações mais brilhantes pelo clube equatoriano, sobretudo no segundo tempo. Em ambos os gols, o camisa 10 fez fila na zaga adversária, antes de vencer o experiente goleiro Sebastián Torrico. Garante três pontos valiosos em um grupo que se promete bastante parelho.

Pela fraca passagem que teve por Recife e até por sua idade, Morales não é exatamente um jogador para os clubes brasileiros se interessarem. Mas, em seus lampejos e pela qualidade técnica, o meia consegue fazer a diferença. É bom os gremistas já ficarem de olho para o confronto da próxima semana, que acontece na quarta-feira, em Porto Alegre.