O Estádio Olímpico recebeu um jogo de alto nível nesta segunda-feira. O confronto entre Roma e Atalanta, dois clubes de boas campanhas recentes na Serie A, já seria suficiente para elevar as expetativas. No entanto, as equipes se superaram para protagonizar uma partida verdadeiramente espetacular. Foram seis gols, 48 finalizações e muita intensidade de dois times que buscam se manter na parte de cima da tabela. O empate por 3 a 3 não beneficia necessariamente nenhum dos lados, mas afirma que a vontade permanece. Sorte do futebol, presenteado com um belo duelo (apesar dos vacilos defensivos) e um verdadeiro golaço de Javier Pastore.

O cartão de visitas do jogaço não poderia ser melhor. O primeiro gol saiu logo aos dois minutos, e com um toque de mágica dos pés de Pastore. Quando Cengiz Ünder fez o passe rasante para o argentino, sua posição parecia difícil para criar algo. Entretanto, ele tirou o coelho da cartola. Com um sutil toque de letra, mandou a bola no cantinho, sem qualquer chance de defesa. O goleiro Pierluigi Gollini apenas assistiu à pintura, que tocou a trave antes de entrar.

A resposta da Atalanta, contudo, seria intensa. Mesmo poupando jogadores importantes por causa do compromisso nas preliminares da Liga Europa, a Dea tinha mais posse de bola e, atacando com velocidade, conseguia bombardear a meta da Roma. Foram 16 finalizações dos visitantes apenas no primeiro tempo, um recorde desde que a estatística passou a ser computada na Serie A. Saíram três gols. O primeiro veio aos 19 minutos, a partir de um contra-ataque. Duván Zapata carimbou a trave e Timothy Castagne aproveitou o rebote. Depois, seria a vez de Emiliano Rigoni maltratar nas ultrapassagens. Pegando a defesa romanista desguarnecida, o argentino estreou com a camisa nerazzurra já balançando as redes duas vezes. Primeiro aproveitou passe de Zapata, que fez grande jogada pela esquerda. Depois, seria servido por Mario Pasalic, outro novato em Bérgamo.

Durante o segundo tempo, a Roma tentou responder. Veio com duas alterações logo de cara, apostando em Justin Kluivert e Steven N’Zonzi. A pressão se inverteu de lado, agora com 16 finalizações para os giallorossi. O empate acabou sendo inescapável. Com muita liberdade, Lorenzo Pellegrini avançou pelo meio e descontou aos 15. Já aos 37, seria a vez de Kostas Manolas aproveitar o cochilo da zaga para deixar tudo igual, a partir de uma bola alçada na área por Pastore. A Atalanta ainda tentou recobrar o prejuízo no final, com boas chances para o quarto tento, enquanto Gollini faria grande defesa para evitar a virada dos anfitriões. Emoção até o fim, apesar do empate.

Nem todos gostaram do resultado, porém. Técnico da Roma, Eusebio Di Francesco precisou fazer um curativo na mão, ao socar o banco de reservas em meio à raiva pela atuação de seus jogadores: “Temos que dar créditos à Atalanta, que está em uma excelente forma física se comparada a nós e outros times. No primeiro tempo, eles tinham mais gás. Se pudesse, teria mudado sete ou oito jogadores no intervalo, mas nos recuperamos. Só que fiquei bravo nos últimos dez minutos, porque paramos de jogar e permitimos que a Atalanta criasse chances. Fomos muito mal no primeiro tempo. Estávamos lentos no processo e nas pernas. Fiquei maluco porque precisávamos de mais foco. Queria equilíbrio nos dez minutos finais, ainda que tenhamos jogado como amadores por uma hora”.

Já Gian Piero Gasperini falou sobre a decepção de ceder o resultado: “Temos muitos bons jogadores e eles se saíram bem. Apesar do empate em Roma, fica um gosto amargo porque tínhamos uma chance genuína de vencer. Quando a Roma mudou, tivemos dificuldades para nos reajustar, abrimos espaços e demos esperanças a eles. Meu estilo de jogo não é complicado, por vezes as coisas simples são mais efetivas. Continuo dizendo que a Liga Europa é fundamental à nossa temporada e queremos conquistá-la para nossa torcida”.

Roma e Atalanta seguem invictas depois de duas rodadas na Serie A. Os giallorossi haviam vencido o Torino, enquanto os nerazzurri golearam o Frosinone. Na próxima semana, teste maior para os romanistas, que visitam o Milan no San Siro. Já a Dea joga em Bérgamo, recebendo o Cagliari. Dois times que buscaram boas opções no mercado e já parecem iniciar a temporada em alta voltagem. Bom para a Serie A, que viu sua média de gols se elevar um pouco mais graças ao jogaço.


Os comentários estão desativados.