A Juventus pressionou até o último instante, mas o Verona conquistou um grande empate em Turim

A Juventus atravessa um momento de reconstrução e isso se reflete em sua campanha na Serie A. Os bianconeri só conquistaram uma vitória em campo na liga, além do triunfo sobre o Napoli nos bastidores, e acumulam três empates consecutivos. Neste domingo, mesmo sem Cristiano Ronaldo por causa da COVID-19, a Velha Senhora teve totais condições de ganhar em Turim. O Verona deu muito trabalho e foi melhor no começo de ambos os tempos. Todavia, os juventinos exerceram grande pressão no final das duas etapas e não conseguiram ir além do 1 a 1 no placar. O goleiro Marco Silvestri foi um dos grandes responsáveis pelo resultado, com ótimas defesas aos gialloblù.

O começo de jogo seria incômodo à Juventus, com o Verona apostando nos cruzamentos e até anotando um gol. O tento de Ebrima Colley aos 16 minutos, contudo, seria bem anulado por um impedimento. A Velha Senhora só teve sua primeira boa chance por volta dos 20 minutos, com uma arrancada de Federico Bernardeschi, que parou no goleiro Silvestri. Apesar disso, os gialloblù seguiam melhores e encontravam mais espaços no ataque. Colley voltou a assustar ao completar um cruzamento e ver seu desvio atravessar a pequena área.

Somente depois dos 30 minutos é que a Juventus realmente cresceu na partida e poderia ter saído com a vantagem parcial ao intervalo. Paulo Dybala teve um chute bloqueado na pequena área e, aos 41, Juan Guillermo Cuadrado fez um míssil explodir no travessão. Além disso, os juventinos ainda veriam um gol anulado na sequência. Álvaro Morata deu um toque soberbo por cima do goleiro, ao ser lançado em velocidade, mas estava ligeiramente impedido segundo o VAR.

O segundo tempo voltaria a apresentar dificuldades à Juventus. O Verona encaixava seus contragolpes e Wojciech Szczesny precisou fazer uma boa defesa em chute de Mattia Zaccagni de fora da área. De qualquer maneira, o gol dos gialloblù não demoraria a vir, aos 15. Zaccagni avançou pela esquerda e deu uma belíssima enfiada de bola, sem olhar e com a parte de fora da chuteira. Achou Andrea Favilli no centro da área e o camisa 11 bateu no alto, tirando do alcance de Szczesny. Favilli, que havia acabado de entrar, precisou ser substituído por lesão logo depois.

A partir de então, o jogo se tornaria praticamente um ataque contra defesa, com a Juventus registrando 77% de posse de bola e 15 finalizações na meia hora final. E demorou até que a pressão resultasse no empate, com a defesa do Verona trabalhando bastante para travar as tentativas. Pior, os bianconeri perderam Leonardo Bonucci por lesão. Em meio ao abafa, Dybala carimbou o travessão mais uma vez aos 31. O salvador apareceria pouco depois: Dejan Kulusevski, que saíra do banco. O sueco recebeu na esquerda e partiu para dentro, fintando a marcação antes de bater no canto e deixar tudo igual aos 32.

Sobrava tempo para a Juventus virar em Turim. Faltou precisão. Adrien Rabiot e Dybala dariam chutes perigosos para fora, embora somente nos acréscimos é que vieram as melhores chances dos bianconeri. Quem se agigantou foi Silvestri. O goleiro do Verona fez importantes defesas, ao rebater uma pancada de Dybala dentro da área e também pegar uma cabeçada de Morata na sequência. Já no último suspiro dos juventinos, o arqueiro espalmou a tentativa de Cuadrado e operou seu milagre final.

A Juventus ocupa a quinta colocação na Serie A, com nove pontos em cinco rodadas. São três pontos atrás do líder Milan, que pode ampliar a diferença nesta segunda, contra a Roma. Já o Verona só perdeu um jogo neste início de campanha, embora não vença há três rodadas. É o oitavo, com oito pontos.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore