A chuva chamou a atenção neste sábado por ter inviabilizado o jogo de ida da final da Copa Libertadores da América, sabe-se bem disso. Mas ela quase torna impossível outra partida. Mais precisamente, na Itália: Genoa e Napoli penaram no gramado cada vez mais impraticável do Luigi Ferraris, principalmente no segundo tempo da partida pela 12ª rodada do Campeonato Italiano. Pelo menos, o jogo pôde seguir até o fim, e o time napolitano conseguiu uma vitória importante: 2 a 1, de virada, mantendo a pressão sobre Internazionale e Juventus.

E não foi só a chuva que ofereceu dificuldades aos Partenopei. No primeiro tempo, o Genoa mostrou superioridade – e teve um destaque: Christian Kouamé. O atacante marfinense de 20 anos não só foi um tormento para a zaga visitante (chegou a colocar a bola no meio das pernas de Kalidou Koulibaly, de atuação tão elogiada contra o Paris Saint-Germain, pela Liga dos Campeões, no meio de semana), mas também fez o primeiro gol dos Rossoblù, de cabeça, aos 20 minutos.

Na etapa complementar, a chuva apertou tanto que o juiz Rosario Abisso chegou a interromper a partida, aos 15 minutos. Após algum tempo, porém, o jogo recomeçou, mesmo num gramado cada vez mais impraticável. Mas foi o suficiente para o Napoli conseguir a virada. Já aos 18 minutos, Fabián Ruiz empatou, em chute da entrada da área, enfim vencendo o goleiro Andrei Radu (ótima atuação). Finalmente, aos 41 minutos, Davide Biraschi desviou acidentalmente para o gol de Radu uma falta cobrada por Dries Mertens. Era a vitória buscada pelo Napoli.