O Liverpool fazia a melhor campanha da história da Premier League, mas não era o melhor time da temporada inglesa até a interrupção das ligas por causa da pandemia. O Jersey Bulls, da décima divisão, possuía um aproveitamento superior ao dos Reds na Combined Counties League. Os Touros venceram 100% de suas partidas, com 27 triunfos em 27 rodadas e o acesso já carimbado à nona divisão. No entanto, o representante da Ilha de Jersey não terá o direito de subir. Na última quinta, uma canetada da Football Association determinou que os campeonatos da sétima divisão para baixo estão cancelados e nada daquilo disputado até a suspensão valerá. O Jersey Bulls verá sua façanha ser jogada no lixo, caso o conselho da FA ratifique a decisão nesta semana.

Localizada no Canal da Mancha, bem mais próxima da França do que da Grã-Bretanha em si, a Ilha de Jersey é normalmente lembrada como um paraíso fiscal. A ilha possui seus próprios sistemas legais e financeiros, enquanto também conta com seu governo próprio, embora siga como dependência da Coroa Britânica e funcione como uma monarquia constitucional – mas fora do Reino Unido. O futebol, por sua vez, possui a sua federação e a sua liga. A FA de Jersey opera como braço regional da Football Association, embora tenha solicitado o reconhecimento da Uefa e da Fifa em 2015, num processo similar ao de Gibraltar. Não foi aceita.

O Jersey Bulls surgiu em agosto de 2018 e, diferentemente dos outros clubes da ilha, requisitou sua entrada no sistema de disputa do Campeonato Inglês. A admissão na Football Association aconteceu em novembro de 2018 e os Touros ganharam permissão para disputar a Combined Counties League em 2019/20. A liga reúne equipes no sul da Inglaterra e possui duas subdivisões. O representante de Jersey entrou na Division One, uma das regionalizações equivalentes à décima divisão do Campeonato Inglês.

Mesmo sem experiência e com um elenco completamente novo, o Jersey Bulls apresentou seu potencial com alguns resultados expressivos na pré-temporada. Nem as viagens mais longas que os adversários, com a obrigatória rotina nos aviões até a Grã-Bretanha, atrapalhou sua campanha inaugural na Division One. O desempenho superou as expectativas: foram 27 vitórias consecutivas, estabelecendo o novo recorde da Combined Counties League, com 99 gols anotados e sete sofridos. A repercussão vinha sendo tamanha que os Touros chegaram a negociar seu destaque, o atacante Lorne Bickley, com um time da quinta divisão. Isso até as perspectivas mudarem completamente, com a pandemia e a posição da FA.

“Estamos genuinamente chocados. Deveríamos subir. Conquistamos o acesso mais rápido do país e isso deveria ser honrado”, declarou o chefe-executivo Ian Horswell, em entrevista à iNews. Cabe ressaltar que o Jersey Bulls possui uma condição privilegiada dentro de sua liga. Apesar do estatuto amador de sua administração, o clube conseguiu o patrocínio de três grandes empresas da Ilha de Jersey. O orçamento para a temporada foi de £275 mil, reunindo os melhores jogadores locais e bancando as viagens dos adversários até Jersey. Além do mais, por seu caráter local, a média de público dos Touros supera os 700 espectadores por partida – enquanto os oponentes costumam levar não mais que 50 pessoas.

Em suas redes sociais, o Jersey Bulls publicou um comunicado sobre o cancelamento da liga. Reforçou sua preocupação com a situação de saúde geral, mas sem negar o “desapontamento” pela decisão da Football Association ao “desconsiderar o trabalho duro realizado ao longo dos últimos oito meses”. A agremiação prometeu discutir soluções com a federação e a liga, mas sem mencionar uma ação na justiça.

Treinador dos Bulls, Gary Freeman se mostrou compreensivo em conversa com a BBC: “Decepciona não ser premiado, mas estamos buscando caminhos para ver se há algo que possamos fazer. Lamentamos o cancelamento, mas, para ser justo, a Football Association teve uma decisão difícil para tomar, pois precisava pensar em todo o país. Eles necessitavam de uma posição consistente a diferentes ligas. Então, se permitissem um acesso, abririam um precedente. Os jogadores estão cientes de que somos fortes demais para esta liga e será um desafio jogar tudo de novo. Mas, se for necessário, então estaremos prontos no verão”.

Além do Jersey Bulls, o Vauxhall Motors foi outro clube que já tinha confirmado o acesso no Campeonato Inglês, também na décima divisão. Descontente com os rumos da temporada, um grupo de equipes da Non-League preparou uma ação em conjunto para pressionar a Football Association. Nesta segunda, mais de 60 times de diferentes divisões de acesso publicaram uma carta endereçada à FA. Criticam a falta de diálogo, dizem que a posição drástica desconsidera os investimentos e apontam as implicações financeiras. Pedem que a anulação seja reconsiderada, com a retomada das conversas com clubes e ligas. Os Bulls aparecem entre os signatários do documento, enquanto parte das equipes sequer lutava pelo acesso, embora acredite que o cancelamento prejudique a integridade das competições.

“É difícil de aceitar isso. No momento, o futebol precisa ficar em segundo plano com tudo o que está acontecendo. A saúde e a segurança de todos são fundamentais. Dito isso, o clube teve muito comprometimento de todos, não apenas dos jogadores, mas também da administração, dos torcedores e dos patrocinadores. Parece que disputamos a temporada inteira sem razão”, declarou o vice-capitão do Jersey Bulls, Luke Campbell, à Sky Sports. “Eu preferia disputar a temporada até o fim. Talvez a FA tenha tomado a decisão cedo demais. Poderiam ter esperado algumas semanas a mais para ver como ficaria, mas isso foge de nossas mãos”.

Campbell também questionou a falta de padrão nas decisões, com certo privilégio concedido às seis primeiras divisões, ainda sem uma orientação definida: “É obviamente uma escala completamente diferente, mas é um pouco estranho que as divisões inferiores sejam anuladas, enquanto não há uma definição à Premier League ou à Championship. Não tenho muita certeza do que está acontecendo por lá”.

De qualquer forma, a saga do Jersey Bulls fica em segundo plano também diante da escalada dos casos de coronavírus na Ilha de Jersey. Com 106 mil habitantes, o território confirmou 81 infectados até esta segunda-feira, com dez pacientes internados no principal hospital local. Dois idosos faleceram ao longo dos últimos dias. Nesta segunda, o governo anunciou medidas de isolamento restritivas, mantendo abertos apenas os comércios de necessidades básicas e proibindo aglomerações públicas com mais de duas pessoas.

Neste sentido, o bom senso e a sensibilidade permanecem além da mera decepção esportiva, como pontua o capitão James Queree: “Foi uma grande aventura, um passo em direção ao desconhecido. Mas, à medida em que você coloca as coisas em perspectiva, o que está acontecendo além do futebol é muito pior. O cancelamento da temporada é um pequeno resultado, um pequeno revés. A situação do coronavírus é perturbadora”.