O Foggia viveu o melhor momento de sua história há quase três décadas. Na gangorra entre a Serie A e a Serie B entre os anos 1960 e 1970, os rossoneri caíram para a terceirona em 1983, um ano antes de declarar falência. Mas ressurgiram das cinzas a partir do final da década, com um futebol ofensivo e sob o comando de Zdenek Zeman. Conquistaram dois acessos em quatro temporadas e fizeram campanhas dignas em anos fortíssimos do Campeonato Italiano. Desde 1995, porém, o Foggia não figura na elite. E não é isso que afasta a torcida de seu estádio, com média de 8,7 mil por jogo na terceirona. Muito menos Nonno Ciccio, o maior símbolo de paixão pelos Satanelli.

O senhor de 90 anos atravessou as diferentes eras do Foggia com devoção exemplar. Esforço que marcou logo o seu primeiro encontro com o time, em 1937. O garoto de 12 anos viajou 54 quilômetros de bicicleta para assistir ao seu primeiro jogo do clube. Depois disso, não parou mais. “É o que sempre digo aos mais jovens: no bem ou no mal, eu sempre torcerei pelo Foggia”, afirma. “Isso é o que significa ser ultra, alguém que nunca perde a coragem”. Ao lado do clube, pôde conhecer toda a Itália. Junto com os rossoneri, encontrou uma razão para manter a vivacidade, independente da idade.

“Hoje, os jovens não sabem que coisa é a vida. É única e é insubstituível. É a vida do homem. Se você tratá-la bem, tudo se sairá bem. Mas se você tratar a vida mal, você estará fodido”, resume o idoso. Nonno Ciccio continua frequentando o Estádio Pino Zaccheria, assim como viaja para acompanhar o Foggia fora de casa, atravessando as estradas italianas sozinho em seu carro. Já nas arquibancadas, o veterano se junta aos outros ultras para empurrar o time e, por vezes, até entra em campo para ser homenageado. Carrega sempre dois cartazes, uma com o seu nome e outra pedindo “paz aos ultras”. Um emblema do verdadeiro espírito do torcedor, que se torna ainda mais notável pela idade.

Abaixo, reproduzimos o mini-documentário do excelente Copa90, contando a história de Nonno Ciccio, e também um vídeo no qual o idoso recebe os aplausos da curva no Pino Zaccheria: