A Grécia fez uma Copa do Mundo bem decente, se você lembrar. Passou de fase em um grupo relativamente fácil, que tinha Colômbia (que acabou líder), Costa do Marfim e Japão. Chegou às oitavas de final com uma derrota (3 a 0 para a Colômbia), um empate (0 a 0 com o Japão) e uma vitória (2 a 1 contra a Costa do Marfim). Caiu nas oitavas de final diante da surpreendente Costa Rica, mas só nos pênaltis. Foi cabeça de chave no sorteio das Eliminatórias da Eurocopa e pegou um grupo moleza: Romênia, Irlanda do Norte, Hungria, Finlândia e Ilhas Faroe. O famoso mamão com açúcar para classificar. Bom, não foi bem assim. Neste sábado, a Grécia chegou ao fundo do poço. Perdeu pela segunda vez para as Ilhas Faroe e é lanterna do grupo.

LEIA TAMBÉM: Lewandowski faz três gols nos acréscimos e deixa Polônia perto da Eurocopa

O jogo deste sábado foi na casa das Ilhas Faroe, em Torshavn. Hallur Hansson e Brandur Olsen marcaram os gols aos 32 minutos do primeiro tempo e aos 25 minutos do segundo, respectivamente. Sokratis Papastathopoulos descontou para os gregos aos 39 minutos do segundo tempo. Foi tarde demais. A festa foi do time das Ilhas Faroe, que conseguiu mais uma vitória. Todos os seis pontos que os faroenses conseguiram vieram das duas vitórias contra os gregos. Um novo parâmetro de fracasso. E um novo patamar de sucesso para as Ilhas Faroe. O narrador da rádio local foi à loucura, como você pode ouvir aqui.

“Absolutamente inacreditável. Surreal. Torscollur com 4 mil torcedores e nós vencemos por 2 a 1. É difícil entender. Nós jogamos um futebol muito bom às vezes. Nós defendemos extremamente bem. Tudo se junta em perfeita harmonia. A chave para o sucesso é muito trabalho duro, a vontade de correr e 100% de empenho de todo mundo. Então tudo vem daí. Isso significa tudo, tanto para nós e para os jovens. Isso nos dá fé que tudo é possível. Isso é muito agradável”, declarou Brandur Olsen, autor de um dos gols.

É isso mesmo: em um grupo tão fácil, com o aumento do número de seleções na Eurocopa, era de se esperar que a Grécia se classificasse com um pé nas costas entre os dois primeiros colocados. Só que isso está tão longe de acontecer que, neste momento, a chance de classificar para a repescagem é remotíssima. Em seis jogos, os gregos somam apenas dois pontos. Conseguiu ridículos dois pontos em seis jogos por dois empates fora de casa, contra Finlândia e Hungria. Em casa, perdeu os três jogos que disputou, para Romênia (1 a 0), Irlanda do Norte (2 a 0) e Ilhas Faroe (1 a 0).

Vale lembrar que a campanha das Eliminatórias da Eurocopa começou com a Grécia sendo comandada pelo italiano Claudio Ranieri. Ele estava no banco de reservas quando o time perdeu o primeiro jogo para as Ilhas Faroe. Depois da humilhação em casa para um dos piores times da Europa, o treinador acabou demitido. Quem assumiu o cargo neste ano de 2015 foi o uruguaio Sergio Markarian. Não tem tido muito sucesso. No primeiro jogo, no dia 29 de março, empatou por 0 a 0 com a Hungria fora de casa. Agora, neste dia 13 de junho, perdeu para Ilhas Faroe.

A situação da Grécia é triste economicamente. Mas no futebol, parece que não está muito diferente nestas Eliminatórias. E olha que a Grécia tem jogadores conhecidos, como Manolas e Torosidis (Roma-ITA), Kostas Mitroglou (Olympiacos), Giannis Fetfatzidis (Chievo-ITA), Sokratis Papastathopoulos (Borussia Dortmund-ALE) e Andrea Samaris (Benfica-POR). O time não conseguiu uma vitória sequer em seis jogos. Precisa ao menos começar a jogar um pouco melhor para escapar da humilhação de ser a última colocada do grupo. É o mínimo que um time como a Grécia pode fazer.

Os gols das Ilhas Faroe: