A garotada resolveu e, além de garantir a virada ao Santos no fim, ainda ajudou a surpreendente classificação do Delfín

O Santos entrou em campo para a última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores já classificado e garantido na primeira colocação de sua chave. Com um time desfalcado e trazendo jovens apostas, o Peixe apenas cumpriria tabela contra o Defensa y Justicia. Apesar de sua situação tranquila, os alvinegros bagunçaram o cenário do grupo. No finalzinho, a equipe da casa buscou a virada por 2 a 1 na Vila Belmiro. O resultado tirou a segunda colocação dos argentinos e a entregou ao surpreendente Delfín, que avançou ao derrotar o Olimpia por 1 a 0, mesmo atuando em Assunção.

A lista ampla de desfalques do Santos incluía Marinho, Lucas Veríssimo, Carlos Sánchez, Madson e outros nomes recorrentes nas escalações alvinegras. Soteldo, que recusou uma proposta para ir ao Al-Hilal, era a referência dentro de campo. Apesar disso, o Peixe se deu melhor durante o início da partida e se arriscou mais no ataque, travado pela defesa adversária e depois parando no goleiro Ezequiel Unsain. Não era um jogo de encher os olhos, mas o Defensa y Justicia demorou a buscar o resultado. Só a partir dos 30 minutos é que a equipe de Hernán Crespo melhorou.

João Paulo faria boa defesa contra Gabriel Hachen e Braian Romero pouco depois finalizou rente à meta do Santos. O momento era dos argentinos, que pressionavam a fragilizada defesa alvinegra e encontravam espaços. Ainda assim, foi apenas na volta ao segundo tempo que os visitantes saíram em vantagem na Vila. Francisco Pizzini recebeu na direita e cruzou rumo ao segundo pau. Então, Romero apareceu livre para completar ao gol aberto, sem que João Paulo se recuperasse a tempo.

O Santos acordou depois do gol e poderia empatar de imediato, mas Kaio Jorge desperdiçou duas boas chances. O Defensa y Justicia atacava com velocidade e também teve a oportunidade de ampliar em um contragolpe, mas o Peixe logo voltou a crescer e não pareceu disposto a aceitar a derrota em casa. Com a entrada de vários garotos, os santistas ganharam energia. E o empate viria aos 32, depois de algumas boas investidas. Unsain realizou duas defesas, até que o cruzamento desviado de Wagner Leonardo acabasse com Lucas Braga, que mandou para dentro.

Neste momento, a classificação ainda era do Defensa y Justicia, mesmo com a vitória parcial do Delfín no Paraguai. Apesar disso, os argentinos tentaram arrancar a vitória e buscaram forçar as jogadas nos arredores da área do Santos. Deixaram as costas livres aos contragolpes e os alvinegros não perdoaram. O gol decisivo aconteceu já aos 47. Lucas Braga foi lançado pela direita e cruzou para Marcos Leonardo mandar para dentro. Com o placar, o Defensa y Justicia partiu ao desespero e quase empatou no finalzinho. Pituca negou o gol de empate na pequena área. As lágrimas prevaleceram aos argentinos.

O Santos chegou aos 16 pontos no Grupo G e pode até encerrar a fase de grupos com a melhor campanha, dependendo do resultado do Palmeiras. A surpresa ficou para o Delfín, que só havia conquistado um ponto em seus primeiros quatro jogos. Os equatorianos venceram o Olimpia por 1 a 0 em Assunção e foram da lanterna aos mata-matas pela primeira vez. O gol decisivo aconteceu aos 36 do segundo tempo, com Agustín Ale desviando de cabeça uma bola alçada na área. O Defensa y Justicia ainda vai à Sul-Americana, enquanto o Olimpia fica de mãos abanando, depois de iniciar a chave como um dos favoritos à vaga.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore