O empate chegou a parecer incontornável no Morumbi. São Paulo e Corinthians não faziam um clássico vistoso neste domingo escaldante, em que o placar parcial dependeu de falhas dos goleiros nos lances capitais. O Tricolor, ainda assim, soube encontrar a vitória nos acréscimos do segundo tempo. Um lance gerado em Cotia permitiu que Brenner anotasse o tento decisivo aos 47 e garantisse o triunfo por 2 a 1 ao time de Fernando Diniz – de fato, melhor ao longo do embate. O resultado reforça o bom momento dos são-paulinos, que emendam a terceira vitória consecutiva, ocupando a vice-liderança no Brasileirão.

O São Paulo começou melhor o clássico, embora o gol tenha saído num lance pontual. Os tricolores apostavam em uma formação de mais mobilidade, que apertava bastante a saída do Corinthians e se posicionava no campo ofensivo. Os anfitriões tinham mais volume e ocupavam bem a intermediária. De qualquer maneira, o tento nasceu a partir de uma falta cobrada por Hernanes, a referência no meio-campo são-paulino. Numa posição mais à direita, o veterano bateu com efeito e mandou a bola por dentro da barreira. A formação corintiana não estava bem posicionada e muito menos Cássio, que deu um passo para o lado e foi enganado pela curva do chute. Méritos de Hernanes, o que não diminui a falha do goleiro num tiro que entrou no meio de sua meta.

Na sequência, o jogo não mudou muito de cara. O São Paulo permanecia ditando mais o ritmo, sem ser agressivo, ao passo que o Corinthians mal conseguia acionar seus atacantes. A primeira finalização veio apenas aos 26, sem dificuldades a Tiago Volpi. A resposta corintiana só ocorreu graças à parada técnica. Os alvinegros voltaram mais atentos e as orientações de Tiago Nunes pareceram fazer efeito imediato. Um lançamento primoroso de Cantillo encontrou Ramiro pelo lado direito e, após escapar de Liziero, o meia mandou o chute rasteiro, sem tanta força. Volpi demorou um pouco para decidir como iria na bola e chegou atrasado, em nova falha. O Corinthians até pareceu se animar com o gol, mas nada suficiente para ameaçar.

Apesar da melhora, o Corinthians pecava na ligação. Os meias pouco apareciam e Jô se via bem marcado pelo zagueiro Diego. Assim, Luan entrou em campo na volta do intervalo. O São Paulo recobrou as rédeas do clássico, mas não que fizesse muito mais, embora pelo menos arriscasse a gol. A melhor chance no início do segundo tempo veio em cobrança de falta que Pablo desviou, exigindo uma boa intervenção de Cássio. E não demoraria para Fernando Diniz também trocar, com as entradas de Brenner e Igor Gomes. Tiago Nunes chamaria Mosquito e Otero ao jogo com 15 minutos.

O segundo tempo era lento, como natural de se imaginar sob o sol forte do meio-dia. O Corinthians até parecia melhor postado que na primeira etapa, mas só fez Volpi trabalhar de verdade após os 30, em batida cruzada de Mosquito, que o arqueiro rebateu. O momento de maior emoção aconteceria numa discussão entre Jô e Diego. O jeito aos treinadores era apostar nas alterações e ver se os substitutos conseguiam renovar o gás na reta final. Mas não que ambas as equipes apresentassem tantas ideias para criar no ataque.

Toró seria mais um desses reservas, entrando aos 28. E num lampejo dentro do segundo tempo fraco, o garoto permitiria a vitória do São Paulo nos acréscimos. O substituto recebeu a bola na esquerda e limpou a marcação para fazer um cruzamento preciso. A bola chegou na cabeça de Brenner, que nem precisou pular para desviar, com a complacência da marcação de Sidcley. O arremate foi em direção ao canto e ainda tocou na trave, sem qualquer chance de defesa a Cássio. Foi o terceiro tento do jovem de 20 anos contra o Corinthians, o primeiro deles valendo vitória.

O São Paulo pega embalo no Brasileirão e assume a vice-liderança. Não pode ser mais alcançado nesta rodada, com 13 pontos, ficando a dois do Internacional no topo da tabela. No meio da semana, os tricolores fazem um jogo fundamental ao visitarem o Atlético Mineiro em Belo Horizonte. Já o Corinthians fica pelo caminho, com somente uma vitória em cinco compromissos. Os alvinegros aparecem no 13° lugar, com cinco pontos, e a terceira pior defesa até o momento, após sete tentos sofridos.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore