O Cruzeiro venceu o Emelec pelo placar mínimo com uma atuação segura, sem sofrer sustos, marcando o gol da vitória ainda na primeira etapa em lance de muita categoria de Rodriguinho. A vitória mantém o Cruzeiro como o líder absoluto do grupo B com nove pontos em três partidas, cinco pontos acima dos venezuelanos do Deportivo Lara, encaminhando a classificação à próxima fase da Libertadores da América.

A partida foi tensa do início ao fim. Os jogadores do Emelec aparentavam muito nervosismo, reclamando com a arbitragem de maneira exagerada em qualquer marcação contrária. O Cruzeiro, que não tinha nada a ver com isso, buscava fazer seu jogo, mas esbarrava em uma forte marcação dos equatorianos. Além disso, a raposa concentrava suas jogadas pelo meio, explorando pouco os lados do campo. Defensivamente, o Cruzeiro não levou sustos e as finalizações do Emelec iam todas na direção do goleiro Fábio. Com dificuldade para realizar as infiltrações, a bola parada apareceu para definir a partida. Aos 31 minutos, em cobrança de falta pelo lado direito, Robinho cruzou, Henrique desviou e Rodriguinho, que já vinha sendo o principal articulador da equipe, foi tranquilo para dominar uma bola difícil com o pé direito, já tirando o marcador da jogada. Como se todo o entorno estivesse em câmera lenta, o meia só aplicou um toquinho despretensioso com o pé esquerdo.

No segundo tempo, o time de Mano Menezes voltou com mais intensidade e armou uma verdadeira blitz contra a defesa do Emelec nos primeiros minutos, e mesmo depois de perder Rodriguinho e dos equatorianos equilibrarem o jogo, as principais chances foram mesmo do time mineiro. Aos 20, depois de uma jogada bem trabalhada pelo meio, Robinho saiu de cara com o goleiro e tentou encobrir, mas Esteban Dreer estava ligado no lance e impediu o gol.

O Cruzeiro estava melhor, mas Mano optou por tentar segurar o resultado, tirando um homem do meio de campo e reforçando a defesa. Isso chamou o Emelec para o ataque, que desorganizado, apenas se limitava às bolas levantadas na área. Com o tempo passando, os ânimos dos derrotados foram esquentando. A torcida arremessou alguns objetos no gramado e entre os jogadores, Fernando Luna exagerou com uma rasteira deliberada em Rafinha, terminando de complicar a vida dos anfitriões.

Apesar do resultado magro, o Cruzeiro criou as principais oportunidades e se mostrou muito mais organizado que o adversário. O meio de campo com Rodriguinho, Robinho e Marquinhos Gabriel se mostrou entrosado e Fred teve boa participação nas jogadas da equipe. E por fim, o domínio completo quando em fase defensiva, ressaltando a boa partida dos volantes Henrique e Romero. O Cruzeiro termina a primeira metade da fase de grupos com 100% de aproveitamento e uma boa margem técnica e na pontuação em relação aos adversários.