A final do Nordestão começou com festa completa, e um frango deu a vantagem ao Ceará

Um erro do goleiro do Bahia frustrou os 40 mil tricolores que encheram a Fonte Nova para o primeiro jogo decisivo

Teve estádio cheio, torcida inflamada e camisas pesadas, como toda boa final pede. Bahia e Ceará começaram a definir nesta quarta-feira o campeão da Copa do Nordeste de 2015. No entanto, os 40 mil tricolores que encheram a Fonte Nova (e quebraram o recorde de público da arena entre clubes) saíram de lá decepcionados. O Vozão contou com a generosidade do goleiro anfitrião para assegurar a vitória por 1 a 0 e colocar uma mão na taça. Mas nada que intimide os baianos para o reencontro na próxima semana, em outra noite que se promete grandiosa para o Castelão.

O show do Bahia aconteceu antes do início da partida. O músico Luis Caldas cantou o hino e a torcida tricolor fez um belo mosaico nas arquibancadas da Fonte Nova. A festa, porém, não fez efeito sobre o desempenho do time em campo. Apesar do melhor primeiro tempo, os baianos não conseguiram construir a vantagem no placar. E pagaram caro por isso na segunda etapa. Ricardinho chutou sem muita pretensão, mas o goleiro Jean se agachou para encaixar e deixou o frango escapar por entre as pernas. Triste noite para o jovem camisa 1, convocado no último mês à seleção olímpica.

O Bahia ainda tentou se recobrar do prejuízo no fim, sem sucesso. Terá que protagonizar uma reviravolta tão difícil quanto à da semifinais, quando virou o jogo contra o Sport de maneira espetacular. Mas, desta vez, sem a força da torcida na Fonte Nova. A grande chance de comemoração no Castelão será do Ceará, que depende apenas de um empate.